Para mãe, motoboy foi morto porque era negro

A família do motoboy Eduardo Luís Pinheiro dos Santos afirmou que o racismo motivou o crime. "Ele foi vítima de uma crueldade. Não tinha defeitos. Será que o defeito era ser negro?", questionou a mãe, a pedagoga e servidora Elza Pinheiro dos Santos, de 62 anos. Aos prantos e com uma foto do filho, Elza disse que mora há 36 anos na Casa Verde, onde o filho foi abordado pelos PMs.

, O Estado de S.Paulo

24 Abril 2010 | 00h00

"Somos uma família digna. Eu e meu ex-marido (o economista e tenente do Exército aposentado José Aparecido dos Santos, de 63 anos) temos curso superior. Soubemos educar nossos filhos. Eles aprenderam desde pequenos a respeitar e não ter medo da polícia", afirmou. Santos deixou uma filha de 2 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.