1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Os 260 detidos em manifestação contra a Copa são liberados

O Estado de S. Paulo

23 Fevereiro 2014 | 12h 16

Polícia Militar divulgou o total de presos neste sábado; todos foram liberados entre sábado à noite e domingo de manhã

Atualizado às 13h

A Polícia Militar divulgou por volta das 13h deste domingo, 23, o número total de detidos na manifestação em São Paulo contra a Copa do Mundo: 260. Todos eles, segundo a Secretaria de Segurança Pública, foram liberados entre a noite de sábado, 22, e a manhã deste domingo, 23. O protesto Não Vai Ter Copa, que reuniu cerca de mil manifestantes na região central da cidade, registrou o maior saldo de prisões em manifestações.

No centro de São Paulo, houve quebra-quebra e agressões feitas por manifestantes e por policiais militares. Os participantes do ato foram cercados e detidos pelos integrantes do pelotão ninja, o grupo de policiais especializados em artes marciais.

Os detidos foram encaminhados aos 1° (Liberdade), 2° (Bom Retiro), 3° (Campos Elíseos), 4° (Consolação), 5° (Aclimação), 8° (Brás) e 78° (Jardins) Distritotos Policiais (DP). Até as 23h de sábado, 30 ainda permaneciam no 78° DP, que concentrou o maior número de pessoas, mas eles acabaram sendo liberados.

Segundo o coletivo Advogados Ativistas, a polícia fez um boletim de ocorrência coletivo no qual acusa os manifestantes por desacato, resistência, desobediência e lesão corporal. O crime de lesão estaria relacionado a uma policial militar que quebrou o braço durante o protesto. Segundo o advogado André Zanardo, os manifestantes estão sendo fotografados e fichados como uma forma de intimidação para as esvaziar as ruas. "Vão chamar essas pessoas para serem ouvidas nas próximas manifestações cerceando o direito das pessoas de se manifestar".