Onze policiais acusados de matar a juíza Patrícia Acioli vão a júri popular

O Estado de S.Paulo

13 Dezembro 2011 | 03h05

A 3.ª Vara Criminal de Niterói decidiu ontem que os 11 acusados de envolvimento no assassinato da juíza Patrícia Lourival Acioli, em 11 de agosto deste ano, vão a júri popular. "Alguém matou uma juíza. Muito mais que juíza - um ser humano, mulher, mãe e cidadã. A apuração da responsabilidade penal é a razão deste processo", ressaltou o juiz Peterson Barroso Simão. Em sua decisão, o magistrado também observou que os acusados, como policiais militares, deveriam garantir a segurança pública - e não o contrário. Os 11 réus respondem por homicídio triplamente qualificado - motivo torpe, mediante emboscada e com o objetivo de assegurar a impunidade por crimes julgados por Patrícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.