Obra atrasa e previsão pode mudar de novo

O projeto de uma escola de circo municipal no Largo do Paiçandu

, O Estado de S.Paulo

08 Abril 2010 | 00h00

As trupes circenses começaram a se apresentar em São Paulo lá pelos idos de 1870. Faziam espetáculos em tendas no Largo de São Bento, na Praça da República e no Largo do Paiçandu. Esse último virou referência para o meio. Artistas se reuniam na região, em bares e restaurantes. Por isso, o Paiçandu foi escolhido em 2008 pela Prefeitura para receber uma escola de circo. Na época, o secretário municipal de Cultura, Carlos Augusto Calil, garantiu que começariam no mesmo ano as obras para transformar prédios na esquina com a Avenida Rio Branco no centro de estudos. Até agora, porém, quem passa pela região ainda vê cenário idêntico ao de 2008. Obras? Nenhuma. Mas, segundo a Assessoria de Imprensa da Secretaria Municipal de Cultura, não quer dizer que circenses deixarão de ser formados por lá. O atraso de (até agora) dois anos é justificado pelo órgão: "toda a tramitação burocrática leva tempo, principalmente quando envolve desapropriação (seis prédios terão de ser desocupados no processo)". Mas, afinal, quando será lançada a escola? A pasta diz que a licitação da obra - a imagem destaca um dos primeiros esboços - já começou, deve acabar até dezembro e a construção terá início no ano que vem. Só que até a Secretaria admite que os prazos podem mudar novamente e que a data da entrega continua incerta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.