1. Usuário
Assine o Estadão
assine


O samba começa a lotar quadras e invadir as ruas

Mônica Reolom - O Estado de S. Paulo

02 Fevereiro 2014 | 02h 00

Mesmo sem permissão da CET, escolas de SP fazem ensaios ao ar livre e atraem milhares

O calor do janeiro mais quente dos últimos 70 anos tirou os ensaios das escolas de samba de São Paulo das quadras. Agora, os foliões que se preparam para o Carnaval também sambam e cantam pelas ruas. Para arrefecer o calor, muita cerveja, batida com vodca e, eventualmente, água.

O ritmo, que esquenta aos poucos, assim como a temperatura ambiente, faz todos dançarem, até quem não sabe. As quadras, montadas em pavilhões gigantes, são mais do que simples ensaios para o desfile final, no sambódromo. Duas ou três vezes por semana, elas abrigam festas – com direito a camarote. E tem para todos os gostos.

Algumas escolas de samba recebem um público mais “família”. Na Gaviões da Fiel, no Bom Retiro, região central, entram no samba idosos e muitas crianças – só é barrado quem estiver de roupa verde, como alerta a placa na entrada da quadra. A cor é da Mancha Verde, com sede na Barra Funda, zona oeste, originária da torcida organizada do Palmeiras e grande rival do Corinthians, que deu origem à Gaviões.

Correndo de um lado para outro, as crianças aprontam e muitas vezes se animam mais do que os pais com o samba, ao som da bateria. “É comum que as crianças venham com a gente. Até porque, nós estamos sempre aqui”, afirma Ju Araújo, atendente de 33 anos que estava na Gaviões acompanhada do marido, das duas filhas – uma de 2 e outra de 12 anos –, da cunhada e da sobrinha. “E todas as crianças já vão desfilar com a gente”, diz.

Simone Braga, de 31 anos, levava no colo o filho Arthur, de apenas 11 meses, que olhava vidrado para a bateria da escola. “A minha mãe vem comigo aqui desde que eu tinha 4 anos. Agora, nós duas trazemos meu filho, que está vindo pela terceira vez em um ensaio”, diz. A mãe de Simone, Sônia Mara, conta que a família morava em uma casa na frente da quadra da escola, que tiveram de vender há alguns anos. “O barulho não atrapalhava, nós adoramos carnaval”, diz Simone. Ela afirma que, desde que foi pela primeira vez à quadra, há 27 anos, só não desfilou pela escola uma única vez: quando estava grávida de Arthur.

Ocupação irregular. Por volta das 21h30, o “esquenta” toma conta da quadra: a bateria dá início à batucada, e os pés começam a se mexer. Por volta das 22h, as cerca de mil pessoas que lotam o espaço invadem a rua, com um carro de som à frente. A escola, então, dá a volta na quadra, sob olhares de moradores entusiasmados. Os próprios carnavalescos vão fechando as ruas conforme passam.

O procedimento se repete em outras escolas, como o Unidos de Vila Maria, que ensaia no distrito de mesmo nome, na zona norte. Uma das mais antigas de São Paulo, a escola, que chega a reunir 5 mil pessoas em uma noite de quarta-feira, percorre as ruas ao redor da quadra em ensaios animados pintados de verde, azul e branco.

E os ensaios da Vai-Vai também acabam fora da quadra. A Rua São Vicente, na Bela Vista, região central, é fechada para os eventos – a escola não tem uma quadra, mas uma pequena sede na mesma rua, onde ficam as fantasias, a secretaria e a sala da presidência. Esse é o motivo, aliás, de os ensaios começarem mais cedo do que todos os outros: por volta das 19h, o povo já está todo reunido, e, às 22h30, impreterivelmente, o som tem de acabar, por causa da Lei do Psiu.

Apesar de os ensaios acontecerem na rua há anos, os integrantes das escolas não poderiam fechar as vias, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

A empresa informou, em nota, “que não são emitidas autorizações para a ocupação do viário durante a realização dos ensaios nas quadras de escolas de samba”. Além disso, avisou que “quando os agentes de trânsito se deparam com esse tipo de situação, eles acionam a Polícia Militar para a desobstrução da via”.

Balada. A Rosas de Ouro, na Freguesia do Ó, na zona norte, se torna point de mulheres de salto alto e homens de camisa Tommy nas quartas e sextas. O ensaio na quadra é “lugar de dançar e ver gente bonita”, define Marianna Membribes, estudante de Marketing de 20 anos. Frequentadora assídua de festas na Avenida Faria Lima e no bairro do Itaim-Bibi, na zona sul, Marianna e sua amiga Beatriz Zauli, de 25 anos, trocam esses locais badalados e caros pelo samba em janeiro. “É a primeira vez que venho na Rosas, mas vou sempre na Vai-Vai.”

Rio e São Paulo. Empolgada com a música e sem parar de dançar, a modelo carioca Mona Santana, de 29 anos, encontrou um pouco da sua cidade natal no ensaio. “Eu sou carioca e Mangueira, e a Rosas é o mais perto que encontro do Rio. Adoro o carnaval daqui”, diz.

ENSAIOS (PELA ORDEM DO DESFILE)

Leandro de Itaquera

Rua Augusto Carlos

Balmann, 588 (Itaquera)

www.leandrodeitaquera.com.br 

Ensaios: domingos, às 18h

Entrada: R$ 5

Rosas de Ouro

Rua Cel. Euclides Machado, 1.066 (Freguesia do Ó)

www.sociedaderosasdeouro.com.br

Ensaios: quartas e sextas, às 21h

Entrada: R$ 20

X-9 Paulistana

Rua Ité, 77 (Vila Guilherme)

www.x9paulistana.com.br

Ensaios: domingos, às 20h

Entrada: R$ 10

Dragões da Real

Avenida Embaixador

Macedo Soares, 1.018 (Vila Anastácio)

www.escoladesambadragoes.com.br

Ensaios: quintas, às 20h, e sábados, às 21h

Entrada: R$ 10

Acadêmicos do Tucuruvi

Avenida Mazzei, 722 (Tucuruvi)

www.academicosdotucuruvi.com.br

Ensaios: quintas, às 20h, e sábados, às 21h

Entrada: R$ 5

Vai-Vai

Rua São

Vicente, 276

(Bela Vista)

www.vaivai.com.br

Ensaios: quintas e domingos, às 19h

Entrada: R$ 10

Tom Maior

Rua Sérgio Tomaz, 622 (Barra Funda)

www.grestommaior.com.br

Ensaios: terças, às 20h30, e sábados, às 21h

Entrada: gratuita às terças e R$ 10 aos sábados

Pérola Negra

Rua Girassol, 51 (Vila Madalena)

www.gresperolanegra.com.br

Ensaios: domingos, às 19h

Entrada: R$ 10

Gaviões da Fiel

Rua Cristina Tomás, 183 (Bom Retiro)

www.gavioes.com.br

Ensaios: terças e sextas, às 21h

Entrada: gratuita às terças e R$ 10 às sextas

Mocidade Alegre

Rua Samaritá, 1.020 (Limão)

www.mocidadealegre.com.br

Ensaios: sextas, às 20h, e domingos, às 17h

Entrada: R$ 5 às sextas e R$ 10 aos domingos

Nenê de Vila Matilde

Rua Júlio Rinaldi, 1 (Vila Salete)

www.nenedevilamatilde.com.br

Ensaios: quartas e domingos, às 19h

Entrada: gratuita às quartas e R$ 15 aos domingos

Águia de Ouro

Avenida Presidente Castelo Branco, 7.683 (Marginal do Tietê)

www.aguiadeouro.com.br

Ensaios: sextas, às 21h, e domingos, às 20h

Entrada: gratuita

Império de Casa Verde

Avenida

Engenheiro

Caetano Álvares, 2.042

(Casa Verde)

www.imperiodecasaverde.com.br

Ensaios: sábados, às 22h

Entrada: gratuita

Acadêmicos do Tatuapé

Rua Melo Peixoto, 1.513

(Tatuapé)

www.academicosdotatuape.com.br

Ensaios: sábados, às 21h

Entrada: R$ 5