O melhor exemplo da mistura de estilos arquitetônicos

A Avenida Paulista dos casarões, assim como a atual, era conhecida por misturar estilos arquitetônicos tão diferentes quanto o gótico, o modernista e o neoislâmico, como é o caso da residência acima. Localizado na esquina com a Alameda Joaquim Eugênio de Lima, o casarão foi projetado originalmente para o político e farmacêutico Henrique Schaumann e foi construído em 1896, em estilo neoclássico.

EDISON VEIGA, RODRIGO BURGARELLI, O Estado de S.Paulo

22 Dezembro 2011 | 03h04

O projeto sóbrio, porém, deu lugar aos traços mouriscos ainda no início do século 20. Na foto ao lado, tirada no fim da década de 1930, já é possível ver as linhas curvas e listradas que caracterizam esse tipo de arquitetura. O proprietário do casarão, Abrão Andraus, também era um dos sócios da famosa Casa Três Irmãos, que funcionou durante décadas na Rua Direita, perto do Largo da Misericórdia. A loja também ostentava o mesmo estilo islâmico do casarão.

A demolição dessa casa foi traumática para a população paulistana. No dia 20 de junho de 1982, perto das 2h, o casarão foi parcialmente destruído por motoniveladoras. Meses antes, a família Lotaif, então proprietária do casarão, se recusou a receber a notificação da Secretaria da Cultura de que o imóvel entraria em estudo para o tombamento. O titular da pasta na época, João Carlos Martins, classificou o episódio como "ato de vandalismo".

Manifestações tomaram a Avenida no dia seguinte, mas não adiantou. Hoje, na esquina da Paulista com a Joaquim Eugênio de Lima - um dos fundadores da "Avenida dos Casarões", em 1891 -, funciona um estacionamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.