''O melhor de São Paulo é o paulistano''

Ervin Black, americano, doutor na área de Contabilidade e Finanças

EDISON VEIGA, O Estado de S.Paulo

17 Abril 2010 | 00h00

Potencial econômico dos países emergentes e atuação brasileira no mercado internacional serão assuntos da palestra que Ervin Black, doutor em Contabilidade e Finanças da Brigham Young University, dará hoje no Hotel Transamérica - no 5.º Seminário Avançado Internacional, realizado pelo Instituto Nacional de Pós-Graduação. Black, que morou em São Paulo em 1977 e 1978, ficará na cidade apenas três dias. "Tenho de voltar logo para minha universidade, para aplicar provas", lamenta.

Crescimento. "Adoraria andar por aí, visitando alguns dos belos parques da cidade e subindo em um dos grandes edifícios para obter uma boa vista geral", diz. "Quando eu morava em São Paulo, havia apenas uma linha de metrô. Era tudo muito diferente."

Nessa época, Black viveu na cidade como missionário da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (mórmons). "Eu gostava muito de ir a museus e catedrais e ao jardim zoológico", conta. "Também via futebol."

Depois disso, esteve em São Paulo apenas duas vezes - a última, no ano passado, quando participou de uma conferência na USP. "É uma cidade vibrante, com um emocionante crescimento", define ele, que mora em Salt Lake City. "A melhor coisa de São Paulo é o paulistano", acredita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.