O apartheid dos engraçadinhos

Acabou a trégua aparente! A boa convivência entre a piada e a notícia tomou o caminho do beleléu depois que, a pedido de jornalistas, a CBF proibiu o acesso de humoristas a treinos e entrevistas coletivas da Seleção. As duas categorias vão continuar se esbarrando no Congresso Nacional, na cola de celebridades, em viagens do Lula ao exterior, no carnaval da Bahia, mas, em preparativos para a Copa do Mundo, não! Futebol é coisa séria - decidiu a imprensa esportiva para se livrar de companhias indesejáveis no ambiente de trabalho.

Tuttuy Vasques, O Estado de S.Paulo

30 Abril 2010 | 00h00

Ainda que super dividido no julgamento da questão, devo reconhecer a cara de pau e a falta de tempo cômico de alguns jovens profissionais do riso na TV atirados no "se vira nos 30" das entrevistas coletivas. Em muitos casos, os caras tentam roubar a cena à força para arrancar o riso na marra - fazem do humor um ato de violência. Nem precisa ser jornalista para condená-los, mas é uma pena que tal sentimento politicamente correto não mobilize a turma credenciada pela CBF para se queixar na assessoria de imprensa de outras mazelas da cobertura do dia a dia da Seleção.

Quem leva o Ricardo Teixeira a sério e aguenta calado o mau humor do Dunga, francamente, não tem muita moral para reclamar do gaiato ao lado.

Eu, hein!

"Sarney? Que Sarney?!"

José Sarney, ao saber que seu nome consta de documento de contabilidade do caixa 2 do Arruda.

Santo de casa...

"A Veja não gosta de mim, mas a revista Time gosta!"

Lula, ao saber que a publicação americana colocou seu nome na lista de líderes mais influentes do mundo.

A vaca foi pro brejo

Em defesa de Ronaldo Fenômeno, deve-se dizer que o campo estava mais pesado que ele na derrota para o Flamengo, no Maracanã. Adriano ficou em terceiro lugar!

Espírito da coisa

Mensagem de ontem no Twitter que Hugo Chávez inaugurou anteontem: "Hola mis queridos Candangueros y Candangueras. Esto ha sido una explosión inesperada. Gracias.Thanks. Ahora en Barinas con Evo. Venceremos!!"

Ou seja: o presidente venezuelano já entendeu direitinho que deve recorrer à rede social sempre que não tiver absolutamente nada de importante pra dizer.

Nada é pra já!

Quando, enfim, a mancha de óleo no Golfo do México cruzar por aí com a nuvem de cinzas vulcânicas da Islândia ? ou com o bloco gigante de gelo desprendido da Antártica ? aí, sim, fará sentido para o ser humano levar a sério o fim do mundo.

Voto maconheiro

Diz o noticiário que as bocas de fumo de São Paulo estão à míngua! Em ano eleitoral, isso pode mudar a tendência das pesquisas de opinião. Maluco estaria ainda apurando responsabilidades pela escassez.

Mudando de assunto

Papo de corintianos, tentando esquecer o fiasco da volta do Fenômeno na Libertadores:

? Por falar em futebol, você viu o Richarlyson brabo?!

? Noooossa!

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.