Janete Longo / AE
Janete Longo / AE

Nuno Cobra é alvo de 3ª queixa por crime sexual

Mulher informou ter sido atacada em evento em Ribeirão Preto; preparador físico foi preso na última segunda-feira após ter sido condenado por violação sexual por ter tocado pernas e seios de mulher durante um voo em 2015

Marco Antonio Carvalho, O Estado de S.Paulo

13 Setembro 2017 | 21h54

O Ministério Público Federal (MPF) tomou nesta quarta-feira, 13, depoimento de uma terceira vítima de crimes sexuais supostamente praticados pelo preparador físico Nuno Cobra, de 79 anos. O órgão foi procurado pela mulher, que informou aos investigadores ter sido atacada durante um evento em Ribeirão Preto. 

Em nota, o MPF declarou que o depoimento foi tomado por meio de comunicação de vídeo online. O órgão aguarda que o termo seja assinado pela vítima para comunicar o caso à juíza federal responsável pela sentença condenatória de Cobra.

“As informações deverão ser encaminhadas ao Ministério Público Estadual na cidade de Ribeirão Preto, local dos fatos, que tem competência para investigar o fato narrado pela vítima”, declarou o MPF. A reportagem não conseguiu contato por telefone com a defesa de Cobra. 

Cobra foi preso por policiais federais na segunda-feira passada por determinação da Justiça Federal. A prisão é decorrente da condenação por violação sexual após ele ter tocado nas pernas e nos seios de uma mulher durante um voo de Curitiba a São Paulo em 2015. 

O MPF entendeu também que ele teria “continuado a praticar os mesmos atos pelos quais foi acusado e condenado”. “Entendo que a ousadia do réu não tem limites, o que exige sua retirada do convívio em sociedade”, disse a juíza Raecler Baldresca.

Mais conteúdo sobre:
violência sexual Nuno Cobra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.