Nomeado novo chefe da Defensoria Pública de São Paulo

Alberto Goldman confirmou o nome do candidato mais votado da lista tríplice, Daniela Sollberger Cembranelli

Bruno Lupion, do estadão.com.br,

29 Abril 2010 | 02h07

O governador Alberto Goldman nomeou na noite de quarta-feira, 28, a nova chefe da Defensoria Pública do Estado de São Paulo. A escolhida,

 

Daniela Sollberger Cembranelli, teve 72% dos votos dos defensores públicos paulistas e estava em primeiro lugar na lista tríplice enviada ao governador. Ela assume o cargo de defensora pública-geral no próximo dia 15 de maio, para um mandato de dois anos.

 

Dos 432 defensores públicos, 410 votaram nas eleições, segundo a Defensoria. Daniela recebeu 296 votos, seguida pelos defensores Denise Nakano, com 86 votos, e Sérgio Locatelli, com 71 votos.

 

Houve ainda 12 votos em branco e 29 nulos.

Daniela será a segunda mulher a ocupar o cargo e substituirá Cristina Guelfi Gonçalves, que estava à frente da instituição desde a criação da Defensoria, em 2006. O mandato de defensor público-geral prevê a possibilidade de uma reeleição.

 

Segundo a lei orgânica da Defensoria, cabe ao governador do Estado escolher o chefe da instituição, entre os três mais votados pelos defensores públicos.

 

Daniela é casada com o promotor de Justiça Francisco Cembranelli e tem dois filhos pequenos.

Mais conteúdo sobre:
Defensoria Cembranelli

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.