No Rio, já são 253 mortos e 10.837 desabrigados

Os 59.852 desalojados pelas chuvas no Rio começam a voltar para suas casas após as enchentes, mas o futuro dos 10.837 desabrigados ainda é incerto. Cerca de 20 mil crianças estão sem aulas em São Gonçalo e Niterói, porque as escolas viraram abrigos.

Pedro Dantas, O Estado de S.Paulo

16 Abril 2010 | 00h00

No Ciep Túlio Rodrigues Perlingeiro, em São Gonçalo, 80 desabrigados serão transferidos hoje para a Escola Municipal Marcílio Dias, que teve as aulas suspensas para servir de abrigo. Uma criança desabrigada, de 3 anos, contraiu pneumonia e foi levada para um hospital. Na unidade de campanha do Exército, montada ao lado do Ciep, 60 pessoas foram atendidas ontem.

No fim da tarde, cerca de mil pessoas protestaram por moradias populares. Até o momento, os deslizamentos e inundações destruíram 419 casas e danificaram cerca de 7.290.

Vítimas. O número de mortos no Estado chegou a 253 (167 desses em Niterói, 66 na capital fluminense e 16 em São Gonçalo). Só no Morro do Bumba, em Niterói, são 47 os mortos. Cerca de cem homens da corporação trabalham diariamente no local, em busca de pessoas soterradas. Além do Morro do Bumba, ainda há registros de três desaparecidos na cidade do Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.