No júri, os atores do caso Isabella

Um mês depois, o promotor Cembranelli e o juiz Fossen voltam a se encontrar no Fórum

Leandro Calixto, O Estado de S.Paulo

28 Abril 2010 | 00h00

O cenário foi o mesmo: Fórum de Santana, zona norte da capital. Exatamente um mês depois do julgamento do casal Nardoni, que parou o País, o promotor público Francisco Cembranelli e o juiz Maurício Fossen voltaram a protagonizar uma audiência no 2.° Tribunal do Júri. Mas, ao contrário do júri do mês passado, apenas 11 pessoas assistiram ao julgamento, que começou às 13h30.

Em vez de um forte esquema policial, apenas dois PMs faziam a segurança. No banco do réus estava um comerciante, de 33 anos, pai de uma menina de 6 anos, acusado pela morte de um "adversário" na busca pelo controle do tráfico na zona norte da capital.

O veredicto não havia sido divulgado até as 23 horas. Mas o advogado do réu, Sérgio Bortoleto, admitiu que enfrentar Cembranelli após o julgamento dos Nardonis ficou bem mais difícil. "A sociedade passou a ter uma simpatia muito grande por ele, que virou um herói. Mesmo assim, estou confiante em absolver meu cliente."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.