Nível do Cantareira cai e volume útil de água pode acabar até julho

Segundo a Sabesp, reserva chegou a 8,6% de água nesta terça-feira

Caio do Valle, O Estado de S. Paulo

13 Maio 2014 | 09h03

SÃO PAULO - O nível do Sistema Cantareira, que abastece de água cerca de 8 milhões de pessoas na Grande São Paulo, caiu novamente. Segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), nesta terça-feira, 13, o índice de reserva nas represas chegou a 8,6%. No dia anterior, havia 8,8% de água. Caso o ritmo de queda continue igual à média dos últimos 30 dias, o volume útil do Cantareira se esgotará em 78 dias, em 30 de julho.

Contudo, a velocidade pode ser maior, já que os meses de maio, junho e julho tendem a ser mais secos do que abril. Desde o dia 13 do mês passado, o sistema perdeu 3,5% de água reservada. Um ano atrás, o reservatório contava com 61,2% de sua capacidade de armazenamento de água.

Quando o volume útil terminar, o governo Geraldo Alckmin (PSDB) pretende extrair o chamado volume morto do Cantareira, reserva de água que fica nas camadas mais profundas das represas, abaixo do nível das bombas. Essa quantidade de água garantiria o abastecimento na Região Metropolitana por mais alguns meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.