'Não sou um rebelde sem causa', diz Aurélio Miguel

Aos 47 anos, Aurélio Miguel (PR) tem se mostrado um aluno aplicado na política. Com apenas dois mandatos, o judoca campeão olímpico de 1988 conhece mais o regimento da Câmara e leis municipais do que muitos vereadores veteranos.

O Estado de S.Paulo

16 Dezembro 2011 | 03h01

Nos últimos quatro anos, ele se tornou oposição ao governo Gilberto Kassab (PSD) após não ser indicado para secretário municipal de Esportes e não ter seu projeto que criava uma bolsa-atleta sancionado - o prefeito havia prometido o cargo e a regulamentação da proposta ao vereador durante as eleições de 2008.

No próximo ano, o parlamentar garante que se manterá como uma das poucas vozes do Palácio Anchieta contra o governo, apesar do acordo que colocou seu partido no comando da Mesa Diretora. "Podem me expulsar do partido, mas não vou ter cabresto", disparou. "Não sou um rebelde sem causa. O que é bom para a cidade, como melhoramentos viários em Itaquera, eu voto a favor. Mas voto contra a isenção de mais de R$ 400 milhões para o Corinthians, contra a construção de um Piritubão que ninguém sabe quando vai sair do papel, contra um monotrilho que vai destruir um bairro inteiro."

Para ele, "a Câmara hoje está refém do prefeito", que consegue aprovar tudo o que quer. Sobre o futuro sozinho, diz que nunca dependeu de bloco para expor opiniões. "Vou fazer meu trabalho com independência." / D.Z. e A.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.