Mulher de 69 anos luta com bandidos e evita assalto no interior de SP

Comerciante se preparava para entrar em casa quando foi abordada por homens armados; idosa se atracou com um dos bandidos enquanto gritava, o que fez dupla fugir

Chico Siqueira, especial para o Estado

29 Abril 2010 | 17h12

ARAÇATUBA - Uma idosa de 69 anos reagiu a um assalto, entrou em luta corporal e colocou dois bandidos para correr. Moradora na pequena Cardoso, a 556 km de São Paulo, Flávia Alves Pena havia acabado de conversar com uma vizinha e se preparava para entrar em casa, quando foi abordada por dois rapazes armados, que anunciaram o assalto. Sem pensar nas consequências da reação, a comerciante se atracou com um dos bandidos enquanto gritava por socorro. Assustado, um dos bandidos saiu correndo e o outro, depois de levar golpes de bolsas e arranhões desferidos pela idosa, também fugiu.

 

Conhecida por comercializar joias e possuir imóveis de aluguel, Flávia não quis comentar o assunto nesta quinta-feira com a imprensa, mas disse que sua reação foi instintiva. "A gente nunca sabe como vai reagir", disse ela.

 

Pelo gesto, a comerciante ficou ainda mais famosa entre os moradores, que não falam em outra coisa na cidadezinha, de 11,5 mil habitantes. Ela tentou minimizar. "Não é nada disso que estão comentando, não lutei com ninguém, tenho 69 anos. Eles (moradores) estão dizendo isso, mas não foi o que aconteceu e não vou comentar sobre esse assunto porque prometi a Deus não falar sobre isso", contou ao Estado.

 

As polícias Civil e Militar, no entanto, confirmaram que Flávia colocou os dois rapazes para correr. "Ela cercou os meninos para evitar que eles entrassem na residência", contou o investigador Antonio Renato Tavares, que atendeu a ocorrência.

 

Segundo ele, Flávia, que já foi vítima de outros ladrões, mora numa rua de pouco movimento e por ser conhecida na cidade como vendedora de joias, se tornou alvo de bandidos. "Desta vez ela reagiu, entrando em luta corporal quando um dos ladrões tentou retirar sua pulseira", disse Tavares.

 

Um dos ladrões, adolescente de 16 anos, que entrou em luta com a idosa, foi preso logo depois que os vizinhos chamaram a Polícia Militar. Mas a arma não foi encontrada. O rapaz está à disposição do Juizado da Infância da Juventude e deve ser encaminhado para a Fundação Casa. De acordo com Tavares, a Polícia Civil procura agora o outro assaltante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.