Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

São Paulo

São Paulo » MTST se concentra na República para protesto na Câmara Municipal

São Paulo

São Paulo

MTST se concentra na República para protesto na Câmara Municipal

Dois ônibus da Tropa de Choque da PM já estão no local para proteção do prédio

0

Adriana Ferraz e Rafael Italiani,
O Estado de S. Paulo

24 Junho 2014 | 14h41

SÃO PAULO - A coordenação nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) faz uma espécie de aquecimento na Praça da República na tarde desta terça-feira, dia 24, para depois seguir em marcha na direção da Câmara Municipal, no Viaduto Jacareí, região central. A entrada principal do prédio já está fechada e policiais militares da Tropa de Choque estão no local.

Ao protesto do MTST, devem se unir integrantes da Federação Pró Moradia do Brasil, que já estão em frente à Câmara. A reivindicação de ambos os grupos é a mesma: a aprovação do novo Plano Diretor de São Paulo. Com ele, parte das áreas hoje invadidas na cidade serão regularizadas.

Mais cedo, o prefeito Fernando Haddad  (PT) afirmou que esteve reunido com parte dos vereadores para discutir a votação do Plano Diretor. "Acho que o projeto está maduro para a deliberação dos vereadores, talvez com um retoque ou outro. Temos um grau de amadurecimento importante. A hora agora é de tomar uma decisão para o futuro da cidade", disse. 

Sobre a pressão do MTST, e as ameaças de novas invasões e ocupações enquanto o texto não for aprovado, Haddad afirmou que respeita as "reivindicações" legítimas, mas que a Prefeitura sempre se colocou contra "qualquer tipo de violência e quebra de ordem". Ainda de acordo com Haddad novas áreas ocupadas podem ser destinadas para habitação popular apenas por meio da Lei de Uso e Ocupação do Solo. 

O Plano Diretor está na pauta da Câmara nesta terça, mas não há garantias de que o projeto será levado à votação em plenário. Além dele, o MTST ainda exige a aprovação de outro projeto que classifica o terreno onde foi organizada a Ocupação Copa do Povo, na zona leste da cidade, como uma área de interesse para construção de moradias populares.

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.