1. Usuário
Assine o Estadão
assine

MTST ameaça uma nova ocupação a cada semana em que o Plano Diretor não for votado

Laura Maia de Castro - O Estado de S.Paulo

22 Junho 2014 | 15h 31

Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) ocupou terreno no Morumbi, na zona sul da cidade, na madrugada de sexta-feira, 20

SÃO PAULO - "A cada semana de atraso na votação do Plano Diretor, uma nova ocupação nascerá na cidade", afirmou o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) em nota enviada à imprensa na tarde deste domingo, 22. Na madrugada de sexta-feira, 20, o movimento invadiu um terreno particular no Morumbi, na zona sul da cidade, como forma de protesto contra a demora da votação do projeto que reordena o crescimento de São Paulo pelos próximos 16 anos.Em menos de 12 horas, cerca de 600 barracos foram erguidos na área que pertence a construtora Even na Rua Doutor Luís Migliano.

Segundo José Afonso, da Secretaria Nacional do MTST, as ocupações não são apenas uma forma de pressão, mas também uma necessidade. "O movimento cumpriu a sua parte, falta o governo cumprir a dele. Há vários terrenos na cidade simplesmente reservados para especulação imobiliária, sem interesse nenhum para construir", disse Afonso.

O aviso de que uma ocupação “nascerá” a cada semana também foi publicado na página do movimento no Facebook: “Recado do MTST aos Vereadores de São Paulo:A cada semana de atraso na votação do Plano Diretor, uma nova ocupação nascerá na cidade. Ontem foi no Morumbi...A luta é pra valer!”, afirmaram.  

A construtora Even, dona do terreno ocupado neste final de semana, disse, por meio de nota, que ficou indignada com a invasão e que tomará as medidas legais necessárias para a reintegração de posse da área. A empresa disse ainda que a construção de um empreendimento no terreno depende da aprovação do projeto por parte da prefeitura. "O terreno é propriedade privada, adquirido há quase 3 anos, e o projeto para a construção de um empreendimento residencial foi protocolado na Prefeitura de São Paulo imediatamente após sua aquisição.O lançamento será feito após sua aprovação", diz a nota.

Segundo a Prefeitura, a aprovação de um projeto de construção depende do atendimento das legislações municipais pelo interessado. A Secretaria Municipal de Licenciamento afirmou, entretanto, que vai levantar na segunda-feira, 23, o andamento da documentação do empreendimento em questão.