MP denuncia Cadu pela morte de Glauco

Pena para crimes pelos quais estudante é acusado varia de 20 a 68 anos de prisão; participação de Felipe Iasi nos assassinatos de cartunista e filho não foi denunciada e continuará a ser investigada

Priscila Trindade, da Central de Notícias

19 Abril 2010 | 17h38

SÃO PAULO - O Ministério Público de São Paulo ofereceu nesta segunda-feira, 19, denúncia contra o estudante Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, o Cadu, por duplo homicídio duplamente qualificado. Ele confessou ter matado o cartunista Glauco Villas Boas e seu filho, Raoni Villas Boas, na madrugada do dia 12 de março, em Osasco, na Grande São Paulo. A apresentação da denúncia foi feita pelo promotor de justiça Yuri Giuseppe Castiglione.

 

O estudante também foi denunciado por lesão corporal em relação a Beatriz, esposa de Glauco. A pena para os crimes varia de 20 a 68 anos de prisão.

 

A participação de Felipe Iasi nos assassinatos continuará a ser investigada. Iasi ainda não foi denunciado pelo MP. O jovem que levou Cadu até a casa de Glauco afirmou à polícia ter sido sequestrado e obrigado a levar Cadu à casa das vítimas.

 

O Ministério Público pediu também um exame de insanidade mental para Cadu. De acordo com o órgão, o processo poderá ficar suspenso até a conclusão do exame. O laudo apontará se o estudante vai a júri popular ou se será internado em hospital psiquiátrico. Atualmente, Cadu está na Penitenciária de Catanduvas, no Paraná.

Mais conteúdo sobre:
caso Glauco Cadu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.