Werther Santana / Estadão
Werther Santana / Estadão

Mortes no trânsito caem 7% na capital; atropelamentos fecham 2017 em alta

Ritmo de redução das vítimas do trânsito perde força na capital; em 2016, queda foi de 15% cidade de São Paulo

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

19 Janeiro 2018 | 13h36

SÃO PAULO - O total de mortes em acidentes de trânsito na cidade de São Paulo no ano de 2017 caiu 7% em relação ao total de 2016, segundo dados do Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga) divulgados na manhã desta sexta-feira, 19. Foram 883 casos na cidade, ante 950 registrados em 2016.

O porcentual de queda é menos da metade do observado entre 2015 e 2016. Nesse período, as mortes haviam caído 15,1%, de 1.119 para 950 casos.

Os dados mostram aumento dos casos de pedestres mortos por atropelamentos. Foram 400 casos no ano passado, ante 393 em 2016 (mais 1,8%). Entre 2015 e 2016, a queda havia sido de 17,8%, de 478 para os 393 casos. Ainda segundo o governo do Estado, o total de colisões (quando os automóveis colidem com objetos fixos, como postes), subiu 10%, de 217 em 2016 para 240 em 2017. 

As mortes em acidentes envolvendo bicicletas subiram 48%. Fecharam 2017 em 37 casos, ante 25 em 2016. Em 2015, haviam morrido 27 ciclistas.

A redução das mortes de motociclistas também perdeu ritmo. Entre 2015 e 2016, este grupo havia tido redução de 12,4% nas mortes, de 355 casos em 2015 para 311 em 2016. Agora, foram 306 casos, uma oscilação para baixo de 1,6%.

Já entre os ocupantes de automóvel, houve uma queda de 32,7% nas mortes em 2017, na comparação com 2016. Foram 103 casos, contra 153 no ano passado. É uma queda mais forte do que a observada entre 2016 e 2015, quando a redução havia sido de 11,5% (2015 teve 173 mortes).

Veja aqui o local de cada acidente registrado na cidade:

Estado. Ao todo, o Estado de São Paulo teve uma oscilação negativa de 1,4% nas mortes do trânsito. A queda, em 2016, havia sido de 5,6%. 

O Infosiga divide o Estado em 16 regiões administrativas. Em 9 delas, os dados mostram redução dos acidentes. Em 7, aumento. O maior porcentual de aumento é na região de Marília, que havia registrado 151 mortes em 2016 e, ano passado, teve 195 casos (29,1% a mais). A maior queda porcentual é na Baixada Santista: lá, houve queda de 14,3% nas mortes por acidentes fatais em 2017, caindo de 307 registros em 2016 para 263 casos no ano passado. 

Mais conteúdo sobre:
InfoSiga mobilidade urbana Trânsito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.