Mortes cometidas por policiais em SP cai em ritmo menor

Na comparação entre 2004 e 2010, houve redução de 50,6% na taxa de homicídios cometidos intencionalmente em São Paulo. Já o número de mortes causadas por disparos efetuados por policiais militares, incluindo resistências seguidas de morte, caiu apenas 7,9% no período.

O Estado de S.Paulo

27 Dezembro 2011 | 03h03

Ao longo da década, os números absolutos pouco variaram. Entre setembro de 2003 e agosto de 2005, por exemplo, foram 1.258 mortes causadas por PMs, incluindo resistências, homicídios dolosos em serviço ou na folga. De setembro de 2009 a agosto de 2011, foram 1.273.

Em relação a crimes cometidos durante o serviço, foram registrados nos últimos dois anos 986 casos de resistência seguida de morte e 12 homicídios dolosos. Segundo a Corregedoria da PM, em 98,8% dos casos, PMs mataram legitimamente.

O número de homicídios dolosos (com intenção) cometidos por policiais militares durante a folga cresceu 50% entre setembro de 2010 e agosto deste ano, em comparação com o período de setembro de 2009 a agosto de 2010. /WILLIAM CARDOSO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.