Morte na Costa do Sauípe: polícia apura negligência

A polícia baiana trabalha com a hipótese de negligência no caso de Maria Eduarda Ribeiro Dantas, de 4 anos, que morreu anteontem em uma piscina do complexo hoteleiro Costa do Sauípe, em Mata de São João, litoral norte da Bahia. A delegada responsável pelo caso, Celina de Cássia Fernandes, começou a ouvir ontem funcionários do hotel.

TIAGO DÉCIMO / SALVADOR, O Estado de S.Paulo

11 Julho 2012 | 03h02

"A causa da morte parece ter sido afogamento, mas estamos investigando as circunstâncias que levaram à ocorrência", afirmou Celina. "Se for detectado que houve alguma falha, vamos atrás de quem deveria ter a responsabilidade no momento."

Por volta de 14h de anteontem, a menina foi localizada, sem sentidos, na piscina para adultos do Sauípe Park, um dos cinco hotéis do complexo. O resultado da autópsia deve ser conhecido em dez dias. O depoimento dos pais foi marcado para amanhã.

Dagmar Ribeiro disse que ela e o marido vigiavam a filha e o filho de 10 anos que brincavam na piscina infantil e não perceberam quando a menina saiu. "Começamos a procurar até que vimos alguém a tirando da piscina maior." De acordo com a mãe, não havia salva-vidas. "Um hóspede socorreu minha filha."

Segundo o resort, os primeiros socorros foram prestados por um profissional de salvamento do complexo e a menina foi levada, de ambulância, ao centro médico do hotel, "onde recebeu atendimento imediato da médica plantonista". A administração frisou que a criança não participava de atividade do hotel na hora da ocorrência e estava sob responsabilidade dos pais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.