1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Morre quarta vítima da explosão na Heineken

- Atualizado: 31 Janeiro 2016 | 13h 28

Trabalhador havia sido transferido para o hospital Albert Einstein, de São Paulo, com 90% do corpo com queimaduras, e não resistiu à gravidade dos ferimentos

Sorocaba – Morreu na noite deste sábado, 30, a quarta vítima da explosão numa caldeira da cervejaria Heineken, ocorrida na quinta-feira, 28, em Jacareí, interior de São Paulo. O trabalhador Aparecido Agostinho, de 52 anos, havia sido transferido para o hospital Albert Einstein, de São Paulo, com 90% do corpo com queimaduras, e não resistiu à gravidade dos ferimentos. 

Na fábrica da Heineken em Jacareí, no interior de São Paulo, trabalhavam 400 funcionários

Na fábrica da Heineken em Jacareí, no interior de São Paulo, trabalhavam 400 funcionários

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores na Alimentação de Jacareí, o operário era irmão de Altamiro Agostinho, que também morreu na explosão. O acidente aconteceu durante a manutenção da caldeira, que funcionava a gás e vapor, por trabalhadores terceirizados da Heineken. Dois deles morreram na hora. Além das outras duas vítimas que morreram após serem internadas, um quinto trabalhador ficou ferido, mas já recebeu alta.

De acordo com o sindicato, as operações na fábrica continuam suspensas e só serão retomadas após a checagem das condições de segurança. A Heineken informou que colabora na investigação do acidente e presta apoio às famílias das vítimas.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em São PauloX