Morre mecânico picado por mais de 600 abelhas em Botucatu-SP

João Siqueira teve choque anafilático e estava na UTI do HC da Unesp desde o dia 16 deste mês

Sandro Villar,

25 Março 2013 | 17h02

PRESIDENTE PRUDENTE - Depois de receber ferroadas de mais de 600 abelhas no último dia 16, o mecânico João Siqueira, de 56 anos, não resistiu e morreu no fim de semana em Botucatu, no centro-oeste paulista. Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital das Clínicas da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Médicos retiraram uma boa parte dos ferrões, a maioria na cabeça da vítima, que teve choque anafilático.

"Nós o encontramos caído e desmaiado, já em choque anafilático. Havia mais de 600 abelhas em cima dele, os insetos entravam e saíam da boca, nariz e ouvidos", contou Fabiano Crivelli de Avila, de 27 anos, sargento do Corpo de Bombeiros, acrescentando que nunca tinha visto nada igual antes. Ele e mais quatro bombeiros precisaram usar roupa de apicultor e fumaça para socorrer o mecânico em uma rua do bairro Monte Mor. "Arrastamos o homem por mais de cem metros para ficar longe do enxame", explicou, lembrando que as abelhas são da espécie Europa.

Mesmo paramentados, os bombeiros também foram picados. "Eu recebi três picadas, um bombeiro levou dez ferroadas e foi atendido no HC", completou Avila, que chamou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para conduzir a vítima ao hospital. O mecânico João Siqueira foi a terceira vítima das abelhas em Botucatu em menos de um ano.

Cachorros e passarinho

Além do mecânico, as abelhas também mataram dois cachorros e um passarinho. Moradores do bairro, onde há área de mata, ficaram retidos em casa com medo dos insetos.

Mais conteúdo sobre:
Abelha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.