1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Moradores fazem horta em praça na Vila Madalena

EDISON VEIGA - O Estado de S.Paulo

27 Setembro 2012 | 03h 03

Voluntários se uniram para pôr o projeto em prática e se revezarão para cuidar da plantação; a colheita deve beneficiar uma escola

As plantinhas já estão lá, crescendo bonitas e verdejantes. Mas a inauguração oficial será neste sábado, às 17h - com show musical e lanche (cada um leva algo). A Praça das Corujas, no limite entre as Vilas Madalena e Beatriz, na zona oeste de São Paulo, ganhará uma horta comunitária.

A iniciativa partiu de 12 voluntários, engajados em questões ambientais e de sustentabilidade. A maioria tinha experiência com hortas urbanas - ao menos, uma plantaçãozinha de temperos no quintal. Conheciam-se apenas pelo Facebook, por meio do grupo Hortelões Urbanos (http://migre.me/aSuOF), que existe desde julho de 2011.

"Foi quando decidimos fazer algo no 'mundo real'. E a primeira reunião do grupo, para montar uma horta comunitária em algum espaço público, ocorreu na Vila Madalena, no começo do ano", recorda-se a jornalista Claudia Visoni, uma das voluntárias do projeto.

Cerca de 15 pessoas se interessaram em participar. A ideia foi esmiuçada, virou um projeto e aí começaram as questões, digamos, mais burocráticas: seria necessária a autorização da Prefeitura para usar uma praça. A Praça das Corujas - que fica na Avenida das Corujas e oficialmente se chama Praça Dolores Ibarruri - foi a escolhida.

O pedido chegou à Subprefeitura de Pinheiros por meio de outra voluntária, a administradora de empresas Madalena Buzzo - que mora na frente da praça e é membro do Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Cades). A autorização foi rápida. "Eles gostaram e abraçaram a ideia", conta Claudia. "Mas não existe, por enquanto, nenhum programa público do gênero. E a Prefeitura não fez nenhum investimento. Tudo foi feito com a nossa vaquinha."

A plantação começou em julho. Para cuidar da horta, há uma escala entre os voluntários. Cada dia um fica responsável por regar, cuidar e ver se está tudo ok. "Como eu moro perto, minha casa se tornou o local para guardar as ferramentas e eu sou acionada como coringa, caso alguém não possa vir no seu dia", diz Madalena.

Merenda. A ideia é que a colheita - há cebolinha, manjericão, tomilho, tomate, berinjela, couve - seja toda revertida para a merenda de uma escola municipal da região. "Estamos viabilizando essa parceria, mas queremos envolver os alunos da escola no projeto, para que a horta se torne educativa", afirma Claudia.

E os voluntários vão além. Também entendem que a iniciativa tem um caráter sociológico: a horta não fica fechada. "Não queremos trancá-la. Estamos confiando na capacidade das pessoas de respeitar um projeto assim em um espaço público", explica Claudia.

Para a inauguração neste sábado, cada um é convidado a levar alguns "comes" para o lanche comunitário. Haverá um show do músico Paulo Padilha. Mais detalhes no blog www.hortadascorujas.wordpress.com.

  • Tags: