Rafael Arbex / Estadão
Rafael Arbex / Estadão

Moradores da Vila Andrade recebem PMs com grito de ‘heróis’

Cerca de cem pessoas foram ao local onde foi realizada a reconstituição da morte de menino de 10 anos, ocorrida no dia 2

Fábio de Castro, O Estado de S. Paulo

19 Junho 2016 | 21h58

Cerca de cem moradores da Vila Andrade foram, na noite deste domingo, 19, ao local onde a polícia matou, com um tiro na cabeça, o menino de 10 anos que havia furtado um carro em um prédio, no dia 2, e receberam os policiais que participariam da reconstituição da ação com aplausos e gritos de “heróis”.

Com uma caixa de som, eles convocavam moradores para o ato e elogiavam a PM. “Tudo leva a crer que os policiais agiram corretamente. Mas há uma inversão de valores, a criminalidade é que dita o ritmo da nossa segurança pública”, disse o engenheiro Milton Venderamini, que mora na frente do local onde o menino foi morto. A empresária Fernanda Guerra fazia coro: “Ninguém sabia que era uma criança (que estava ao volante). Os policiais só estavam fazendo seu trabalho”.

O garoto foi morto com um tiro na cabeça enquanto dirigia o carro que havia furtado de um prédio, com um amigo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.