NILTON FUKUDA/ESTADÃO
NILTON FUKUDA/ESTADÃO

Moradores da Casa 1 desfilarão pela 1ª vez na Parada LGBT de São Paulo

Além da estreia no evento da capital paulistana, criador do projeto explica que a procura por vagas cresceu expressivamente

Murilo Busolin, O Estado de S. Paulo

15 Junho 2017 | 21h34

Desde a abertura no início de 2017, a Casa 1, projeto que abriga jovens LGBT's que foram expulsos de suas próprias casas, recebeu cerca de 31 pessoas acolhidas em São Paulo.

Essa vai ser a primeira vez em que os moradores irão desfilar na Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, que ocorre no domingo, 18. Iran Giusti é o criador do projeto e frequenta o evento há mais de 10 edições, mas pela primeira vez sairá no evento como organizador, sendo parte efetiva da causa.

'A Parada é um evento periférico, é o único que une pessoas de todos os extremos da cidade, mais do que a final de ano e o Carnaval. Nós vamos sair em vários trios e também no chão, os moradores estão completamente animados, quando possuem tempo livre eles começam a montar as produções, já estão fazendo essas roupas há quase um mês', conta o criador.

A república de acolhimento, que hoje abriga 13 moradores e moradoras, oferece apoio psicológico e médico a gays, lésbicas, travestis e transexuais, além de funcionar como centro cultural, com a prática de workshops, palestras, biblioteca aberta ao público e até curso de preparação para o ENEM.

De acordo com o idealizador, não existe métrica estabelecida para o número de moradores da casa, mas conforme o projeto foi ganhando mais visibilidade, a busca acabou aumentando.

 

'Quase 50% dos pedidos de acolhida vem de pessoas de fora da cidade de São Paulo. Ainda não temos como cravar isso, mas temos percebido uma tendência em que os espaços periféricos e cidades menores são os mais opressores, quando o assunto é a abordagem da família sobre a orientação afetiva sexual e identidade de gênero', afirma Giusti.

Com a força das redes sociais e apoiadores do projeto, a casa vem ganhando atenção de colaboradores de todo o País ao longo dos cinco meses de funcionamento. As pessoas interessadas em colaborar com a Casa 1 devem acessar o site oficial de doações, ou entrar em contato através da página oficial do projeto.

Mais conteúdo sobre:
Parada Gay Carnaval São Paulo ENEM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.