Modelo híbrido é herança histórica em São Paulo

De acordo com o historiador Luís Soares de Camargo, ex-pesquisador do Arquivo Histórico Municipal, unir emprego e moradia em um mesmo local é uma tradição colonial brasileira. "Em São Paulo, não foi diferente. No centro histórico, a maioria dos sobrados reservava a parte térrea para o comércio e o dono morava na parte de cima. Apesar de esses imóveis não existirem mais dessa maneira, o traço cultural se manteve", afirma.

O Estado de S.Paulo

02 Junho 2013 | 02h04

O professor Luís Soares de Camargo, da FAU-USP, afirma que essa mudança começou no início do século XX, quando a cidade passou a adotar um novo tipo de urbanismo, que defendia áreas separadas para moradia, trabalho e lazer. "Isso veio a criar bairros como a Chácara Klabin, onde você tem um monte de prédios, todos residenciais, e nem uma vendinha do lado. São bairros mortos." / J. R. T. e R. B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.