''Meu avô foi ao Acre trabalhar na borracha''

Escritor, de 57 anos, publicou dois livros também em árabe

, O Estado de S.Paulo

24 Abril 2010 | 00h00

"O primeiro a vir ao Brasil foi meu avô, em 1904, direto para o Acre, para trabalhar no ciclo da borracha. Depois, ele voltou para o Líbano e, de tanto contar histórias sobre a Amazônia para o meu pai, acabou contaminando-o. Tanto que, quando meu pai já estava estabelecido no Líbano, com emprego estável no Ministério da Justiça, largou tudo para tentar a sorte no Brasil. Não veio para ganhar dinheiro, veio fascinado pelas histórias.

Um fascínio pela narrativa oral, aliás, que continuou comigo. E isso também por influência do meu avô, um narrador clássico, que reunia, aos domingos, todas as crianças para contar histórias do Líbano, da Amazônia, de fascínio pelo que vivera."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.