Assine o Estadão
assine

São Paulo

SÃO PAULO

Mesmo sem chuva, nível do Sistema Cantareira sobe pelo 9º dia seguido

Segundo a Sabesp, reservatórios do sistema operam com 45,7% da capacidade e não registram perda de água desde o final de outubro

0

O Estado de S.Paulo

02 Fevereiro 2016 | 09h20

SÃO PAULO - Mesmo sem registrar chuva, o Sistema Cantareira foi o único dos principais mananciais a registrar aumento no volume armazenado de água, o nono seguido, segundo relatório da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), divulgado nesta terça-feira, 2. Todos os outros mananciais registraram queda.

Considerado o principal sistema hídrico de São Paulo, o Cantareira subiu 0,2 ponto porcentual. Os reservatórios que compõem o sistema operam com 45,7% da capacidade, de acordo com índice tradicionalmente informado pela Sabesp, que considera volume morto como se fosse volume útil. No dia anterior, o nível estava em 45,5%.

Não choveu sobre a região nas últimas 48 horas. Em janeiro, as chuvas na região do manancial ficaram abaixo da expectativa, com 248,4 milímetros registrados. A média histórica para o período é de 263 mm.

As chuvas abaixo da média, no entanto, não encerraram o processo de recuperação do Cantareira. A última vez que os reservatórios perderam água represada foi há mais de três meses, no dia 22 de outubro, quando o volume armazenado desceu de 15,7% para 15,6%. Ao longo desse período, a quantidade de água acumulada praticamente triplicou.

Outros fatores explicam as altas no Cantareira, que opera fora do volume morto desde o final de 2015. Houve diminuição da retirada de água do sistema pela Sabesp, racionamento e redução do consumo. A gestão Geraldo Alckmin (PSDB) também aplica multas para os chamados "gastões" e oferece bônus para quem conseguir economizar água.

A crise no sistema completou dois anos em janeiro, contudo, ainda inspira cuidados. Segundo o índice que calcula a reserva profunda como volume negativo, o nível do manancial está em apenas 16,4%, ante 16,3% no dia anterior. Já o terceiro índice está em 35,3%.

Outros mananciais. Atual responsável por atender o maior número de clientes da Sabesp, o Guarapiranga caiu de 83% para 82,7%, segundo a Sabesp, e já não registra alta há cinco dias. 

Em crise, o Alto Tietê também caiu. O nível do manancial está em 28,9%, 0,1 ponto a menos do que no dia anterior, já considerando um volume morto adicionado no final de 2014. Já o Rio Claro caiu 0,2 ponto e está em 81,7%.

Tanto o Alto Cotia quanto o Rio Grande sofreram queda, de 0,7 e 0,3 ponto porcentual, respectivamente. O primeiro opera com 100,7%, enquanto o segundo está em 90,3%. 

Mais conteúdo sobre:

Comentários