José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Mesmo com decisão contrária, aumentos nas tarifas entram em vigor

Governo estadual alega que ainda não foi notificado sobre suspensão dos reajustes no valor da passagem integrada e dos bilhetes temporais

Adriana Ferraz e Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

09 Janeiro 2017 | 10h56
Atualizado 09 Janeiro 2017 | 12h27

SÃO PAULO - Mesmo com a decisão judicial de suspender os reajustes nas tarifas de trem e metrô anunciados pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), os aumentos entraram em vigor neste domingo, 8, e continuando sendo aplicados nesta segunda-feira, 9.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse na manhã desta segunda-feira que o Estado ainda não foi notificado sobre a liminar. "Não houve nenhuma notificação. Portanto, não houve nenhuma exigência."

Na sexta-feira, 6, o juiz Paulo Furtado de Oliveira Filho, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), suspendeu os aumentos de 14,8% nos bilhetes integrados com o ônibus da capital paulista e de até 35,7% nos bilhetes temporais.

Os reajustes foram aplicados para garantir o congelamento da tarifa básica em R$ 3,80, acompanhando a decisão do prefeito João Doria (PSDB) em não dar aumento no preço da passagem na capital.

O secretário dos Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, reafirmou que as tarifas foram alterados porque não houve notificação da Justiça e indiciou que, caso o aviso ocorra antes do julgamento do recurso, que ainda será apresentado, as empresas serão comunicadas pelo governo sobre o valor das tarifas, voltando aos preços anteriores.

O governo, no entanto, espera que essa medida não seja necessária, pois acredita em julgamento favorável que casse a liminar ainda nesta segunda-feira. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.