Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

São Paulo

São Paulo » Apesar de chuva abaixo do esperado, Cantareira sobe pelo 19º dia

São Paulo

Cássio Roosevelt/Reuters

Apesar de chuva abaixo do esperado, Cantareira sobe pelo 19º dia

Principal manancial de São Paulo opera com 47,7% da capacidade; Sistema Guarapiranga não registra aumento há duas semanas

0

Felipe Cordeiro,
O Estado de S. Paulo

12 Fevereiro 2016 | 09h34

SÃO PAULO - Mesmo com chuvas abaixo do esperado nas primeiras semanas de fevereiro, o Sistema Cantareira registrou aumento no volume armazenado de água pelo 19º dia consecutivo, segundo relatório divulgado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) nesta sexta-feira, 12. Outros dois mananciais também registraram alta, enquanto um manteve o volume e dois tiveram queda.

De acordo com a Sabesp, os reservatórios que compõem o Cantareira operam com 47,7% da capacidade, 0,2 ponto porcentual a mais do que no dia anterior. Esse índice, tradicionalmente divulgado pela companhia, considera a reserva profunda como se fosse volume útil do sistema.

O nível do Cantareira ficou estável pela última vez no dia 24 de janeiro, quando estava com 42,8%, e desde então só registrou aumentos. Já a última queda foi no dia 22 de outubro, quando o volume de água represada desceu de 15,7% para 15,6%.

A nova alta aconteceu após 5,7 mm de chuvas nas últimas 24 horas. A pluviometria de fevereiro, que está em 64,9 mm no valor acumulado, tem ficado aquém da expectativa. A média histórica para o mês inteiro é de 202,4 mm. O Cantareira também fechou janeiro com chuva abaixo da média.

Outros fatores explicam as altas no Cantareira, que opera fora do volume morto desde o fim de 2015. Houve diminuição da retirada de água do sistema pela Sabesp, racionamento e redução do consumo. A gestão Geraldo Alckmin (PSDB) também aplica multas para os chamados "gastões" e oferece bônus para quem conseguir economizar água.

Segundo o índice que calcula a reserva profunda como volume negativo, o nível do manancial está em 18,4%, ante 18,2% no dia anterior. O terceiro índice também subiu 0,2 ponto porcentual, passando de 36,7% para 36,9%.

Outros mananciais. Em crise, o Alto Tietê registrou alta de 0,1 ponto porcentual nesta sexta-feira e passou de 28,4% para 28,5%. O índice considera o volume morto adicionado no fim de 2014. Outro sistema que teve aumento do volume de água armazenada foi o Rio Claro, que saltou de 80,4% para 81,5%, elevação de 1,1 ponto porcentual.

Atualmente responsável por abastecer o maior número de pessoas na capital paulista e na Grande São Paulo (5,8 milhões), o Guarapiranga ficou estável com 81,2% da capacidade. O manancial está há duas semanas sem registrar aumento no volume armazenado.

Os Sistemas Alto Cotia e Rio Grande registraram queda do volume nesta sexta-feira. O primeiro recuou 0,2 ponto porcentual e caiu de 100,2% para 100%. Já o segundo teve queda de 0,3 ponto porcentual e foi de 87,3% para 87%.

Comentários