Mesmo com aperto na fiscalização, um ciclista morre por semana em SP

Apesar do maior rigor na fiscalização, o número de ciclistas mortos no trânsito da cidade de São Paulo aumentou no ano passado, conforme dados divulgados ontem pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). É a primeira vez que esse tipo de ocorrência cresce desde 2005. As mortes subiram 6%, passando de 49 há dois anos para 52 (uma por semana) em 2012. A maioria - 51 - dos ciclistas que perderam a vida em acidentes era do sexo masculino. Em média, tinham 35 anos de idade.

CAIO DO VALLE, O Estado de S.Paulo

14 Março 2013 | 04h19

Em maio, a Prefeitura começou a fiscalizar e multar com mais frequência os motoristas que não respeitam os direitos de quem está circulando sobre duas rodas na capital. Mas do dia 14 daquele mês até 24 de agosto só duas multas diárias foram aplicadas - no total, houve 212 autuações no período. A Secretaria Municipal dos Transportes informou que não tem estatísticas atualizadas.

As mortes de ciclistas em São Paulo não caem desde 2010, quando 49 deles perderam a vida nas vias da capital. A notícia sobre o aumento de mortes de ciclistas é divulgada na semana em que a cidade acompanha os desdobramentos do caso do operador de rapel David Santos Sousa, de 21 anos, que teve o braço direito arrancado em um acidente na Avenida Paulista no domingo.

Para o cicloativista Willian Cruz, autor do blog Vá de Bike (www.vadebike.org), a Prefeitura tem falhado ao não investir na conscientização dos motoristas da cidade, que, segundo ele, "ainda acham que rua não é lugar para se andar de bicicleta". "As faixas da CET penduradas naquela época que pediam o respeito aos ciclistas caíram por causa da chuva. Depois, mais nada foi falado sobre o assunto", afirma Cruz. Ele avalia que o número de mortes ainda é alto, mas que o crescimento de um ano para outro também pode estar relacionado ao aumento de pessoas usando bikes.

O diretor de Planejamento da CET, Tadeu Leite Duarte, comemora o fato de os números não terem retornado aos patamares de meados da década passada, embora tenham subido. Ele garante que a fiscalização segue rigorosa. "O agente de trânsito tem obrigação de fiscalizar e está preparado para autuar esse tipo de infração."

Trânsito em geral. Os números da CET, constantes do Relatório Anual de Acidentes de Trânsito Fatais, apontam ainda que houve queda de 9,8% no número de mortos em acidentes em geral - foram 1.231, ante 1.365 em 2011. Ao todo, 12,5% menos pedestres morreram: a queda foi de 617 em 2011 para 540 no ano passado. Já a quantidade de passageiros ou motoristas mortos cresceu 7,5% de um ano para o outro, passando de 187 mortes para 201. Mortes de motociclistas caíram 14,5% - de 512 em 2011 para 438 em 2012.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.