Mercado imobiliário inflaciona Barra Funda, a 'Nova Perdizes'

Bairro da zona oeste por anos esquecido pelas construtoras vive boom, com o lançamento de edifícios de alto padrão

, O Estado de S.Paulo

15 Abril 2010 | 00h00

A Estação Palmeiras-Barra Funda, da Linha 3-Vermelha do Metrô, foi inaugurada em 1988, mas por muito tempo a região passou despercebida por construtoras.

Hoje, a paisagem do bairro antigo, cenário de contos modernistas de Alcântara Machado, é entrecortada pelas construções de enormes prédios residenciais. Como o bairro possui enormes galpões desocupados e a Prefeitura ainda autoriza grandes empreendimentos na região (ao contrário do que ocorre em bairros considerados mais nobres), o mercado definitivamente aposta na Barra Funda como o bairro paulistano da vez.

As imobiliárias inventam nomes para designar a região - Nova Perdizes ou Nova Pompeia - e salgam o preço do metro quadrado. "Terreno que, há dez anos, custava R$ 50 mil, hoje está R$ 200 mil", conta o advogado Edivaldo Godoy, presidente da Associação de Moradores da Barra Funda. Há 36 anos no bairro, ele conta que o custo de vida já está maior, com aumento de aluguéis e da alimentação.

Pinheiros. Na região do Largo da Batata, construtoras já vêm assediando donos de imóveis. Altenor Sona, técnico de contabilidade que mora na pequena Rua Bartolomeu Zunega há 40 anos, afirma que já recebeu duas propostas de compra de seu sobrado, mas até agora nenhuma que o fizesse aceitar vendê-lo.

Na comercial Rua Martim Carrasco, é certo que todos os imóveis serão desocupados. Proprietária da tabacaria Polimeno e Cia há 35 anos, Cleusa Maria Muscas Polimeno lamenta a desfiguração provocada pelas obras do metrô. "Hoje qualquer bairro tem as coisas que antes só Pinheiros oferecia." / M.L.

Pontos-Chave

Demanda

A média de usuários do

Metrô em dias úteis no ano passado Foi de 3,3 milhões, considerando as entradas e transferências entre linhas

Estrutura

A rede atualmente em operação tem 62,3 km de extensão. São quatro linhas: 1-Azul, 2-Vermelha, 3-Verde e 5-Lilás

Expansão

A Linha 4-Amarela, cujas primeiras estações estão em teste, terá 12,8 km e deve

receber 750 mil usuários na primeira fase

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.