1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Mercadão de São Paulo terá Wi-Fi livre

O Estado de S. Paulo

05 Fevereiro 2014 | 22h 08

Conexão gratuita estava em testes desde o fim de janeiro; Masp e praça Benedito Calixto são os próximos locais a receber o serviço

Atualizado às 22h de quinta-feira, 6

SÃO PAULO - Em testes desde o fim de janeiro, a conexão gratuita à internet no Mercado Municipal de São Paulo, no centro, foi lançada nesta quinta-feira, 6.

Além do Mercadão, outros dois pontos turísticos da capital paulista já contam com o serviço: o Pátio do Colégio, no centro, e a Praça Dilva Gomes Martins, em Arthur Alvim, na zona leste.

O vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp) e as Praças Benedito Calixto, em Pinheiros, e Fortunato da Silveira, em São Miguel Paulista, serão os próximos pontos a receber o projeto Praças Digitais. A Prefeitura espera implementar 120 pontos de internet Wi-Fi livre, a maioria na zona leste de São Paulo.

O prefeito Fernando Haddad (PT) compareceu à inauguração do wi-fi em Arthur Alvim e testou a conexão. "Ela é um pouco mais lenta que o computador de mesa, mas conecta. Até 150 conexões, tem uma velocidade razoável, depois começa a ficar mais lento. Mas nós vamos avaliar praça por praça. Se precisar contratar mais banda (larga), a gente pode estudar", afirmou o prefeito.

A velocidade da conexão será de 512kbs para download e upload e não é necessário fazer cadastro prévio do usuário para acessar. Com o projeto, serão gastos R$ 9,2 milhões anualmente, sendo R$ 6,4 mil o preço médio de cada praça digital por mês.

Quem estava no Mercadão de São Paulo nesta quinta-feira aproveitou para testar a rede de Wi-Fi. A administradora Camila Cavalhero, de 41 anos, que foi à Rua 25 de Março, no centro, para fazer compras e aproveitou para visitar o local, não conseguiu acessar a rede de conexão. "Pode ser por causa do meu aparelho de celular, não sei. Um projeto como esse é perfeito porque os pontos ficam em pontos turísticos e, quem vem, pode se localizar melhor pela cidade", disse. Já o marido dela, o médico Marco Cavalheiro, de 50 anos, conseguiu acessar rapidamente diversos sites."No meu celular o sinal é excelente."

A servidora pública Leia Alves de 39 anos, de Rondônia, conheceu pela primeira vez o Mercadão nesta quinta. Ela também encontrou dificuldades para acessar a rede. "Tentei algumas vezes até conseguir me conectar", explica. "Acho que a iniciativa é ótima porque, para a gente que não conhece a cidade, fica mais fácil procurar mapas e pontos turísticos próximos."

Veja aqui a lista de todos os pontos que deverão receber Wi-Fi livre na cidade: