1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Menores promovem 2º tumulto em 10 dias na Fundação Casa em Praia Grande

Ricardo Valota e Gheisa Lessa, do estadão.com.br

17 Julho 2012 | 03h 33

Desta vez, dois funcionários foram feitos reféns, houve quebra-quebra, mas niguém fugiu

SÃO PAULO - Num período de 10 dias, o complexo da Fundação Casa (antiga Febem) localizado no Jardim Esmeralda, na Praia Grande, litoral sul paulista, é palco de dois incidentes envolvendo internos. No último dia 7, pelo menos 18 adolescentes fugiram da Unidade II. Na noite desta segunda-feira, 16, alguns dos 40 menores da Unidade I, localizada ao lado e com capacidade para 56 jovens, realizaram um tumulto e danificaram móveis e colchões utilizados por eles mesmos.

 

A assessoria de imprensa da Fundação informou que, por volta das 19h30, no momento em que deixavam o jantar e seguiam para os dormitórios, onde iriam fazer a higienização antes do início de atividades pedagógicas, alguns dos adolescentes, nenhum deles armado, renderam dois agentes de apoio socioeducativo, ambos do sexo masculino. Outros internos resolveram quebrar cadeiras e mesas, cujos pedaços de madeira acabaram virando armas, e atearam fogo em colchões.

 

Segundo o que foi informado para a assessoria, os adolescentes aparentemente não reivindicaram nada. Quatro horas depois, eles foram convencidos a encerrar o tumulto e soltaram os dois funcionários, ambos ilesos. Não houve fuga. A Corregedoria da Fundação Casa irá abrir uma sindicância interna para apurar detalhes do ocorrido e saber exatamente quais e quantos dos adolescentes participaram da confusão.

 

 

Fuga. Na noite do último dia 7, um sábado, 18 adolescentes fugiram da Unidade II, no mesmo complexo. A Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar o ocorrido. Por volta das 20h30, os jovens renderam dois agentes enquanto eram levados da quadra poliesportiva para os dormitórios.

 

Na ocasião, segundo a assessoria de imprensa da Fundação, os menores arrombaram o portão de acesso à parte externa do centro e fugiram pulando o muro. Um adolescente foi baleado e um funcionário ficou ferido. Uma sindicância também foi aberta pela Corregedoria da entidade. O tiro teria sido disparado de fora para dentro, segundo informação preliminar apurada naquela ocasião. Quase 15 horas depois da fuga, apenas dois dos adolescentes haviam sido recapturados.