'Me disseram que eu ofendia as pessoas'

Eu não tinha feito absolutamente nada de errado, além de vestir uma saia, aparentemente uma infração gravíssima. Ao entrar no colégio, às 7h, fui parado antes de subir as escadas, ameaçado de ligarem para os meus pais. Depois fui levado à sala do Pedro Fregoneze (diretor-pedagógico). Ouvi dele muitas frases horrorosas, que eu ofendia as pessoas e feria a comunidade. Ele autorizou minha entrada na escola, mas disse que, se algum professor me excluísse da sala pelo o que vestia, eles acatariam a decisão. Durante a quinta aula, um inspetor pediu que eu comparecesse à sala da Vera (Vera Malato, orientadora educacional). Ela me disse que o diretor-presidente (Mauro Aguiar) desautorizara minha estadia no colégio. Vera completou com a frase: "Homens vestindo saia são proibidos de ficar no Colégio Bandeirantes". Por isso surgiu o "saiaço". A ideia é levar essa discussão para dentro do Band, questionar essa proibição de vestimenta por gênero e protestar contra essa atitude preconceituosa do colégio na sexta-feira (comigo) e na quinta com o João Fraga.

O Estado de S.Paulo

10 Junho 2013 | 02h01

* Depoimento que o estudante publicou no Facebook

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.