Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Maternidade fica sem energia e Eletropaulo admite falha

Hospital em Osasco diz que entrou em contato com concessionária 12 vezes até problema ser resolvido. Empresa apura o caso

Paula Felix, O Estado de S. Paulo

06 Janeiro 2015 | 19h34

SÃO PAULO - Durante cinco horas, o Hospital e Maternidade Amador Aguiar, em Osasco, na Grande São Paulo, ficou completamente sem luz entre tarde de segunda e a madrugada desta terça-feira, 6.

Segundo a prefeitura do município, a unidade ficou sem energia por dez horas, mas seu funcionamento foi mantido com o auxílio de um gerador das 16 às 21 horas, quando o equipamento apresentou problemas e parou de funcionar. A AES Eletropaulo confirma falha no atendimento à ocorrência e diz que apura o caso.

A interrupção do fornecimento de energia ocorreu por volta das 16 horas de segunda, após as fortes chuvas que atingiram a cidade. "A direção do hospital acionou a AES Eletropaulo em diferentes momentos. Foram realizados 12 contatos com a empresa. A energia foi retomada às 2 horas da madrugada desta terça", informou a Secretaria de Saúde do município, por meio de nota.

Durante o período sem energia, dois bebês prematuros com quadro de insuficiência respiratória, que estavam em incubadoras, tiveram de receber ventilação manual. Quatro médicos fizeram o atendimento. As crianças passam bem.

Uma cirurgia foi finalizada quando a unidade estava sem luz e o procedimento não foi prejudicado, segundo a prefeitura. A paciente, uma grávida, também se recupera bem. Uma mulher em trabalho de parto precisou ser transferida para um hospital em Carapicuíba. 

A prefeitura informou que já fez os reparos no gerador danificado e que locou outro equipamento para utilizar caso haja necessidade.

Na tarde desta terça, a vice-presidente da AES Eletropaulo Teresa Vernaglia admitiu que houve problema no atendimento ao caso do hospital. "Das 17 horas até por volta de meia-noite, houve, de fato, 12 contatos do hospital e, neste período, nós tivemos uma falha no nosso processo de atendimento. Isso foi um caso pontual, porque hospitais são prioridade no processo de restabelecimento (de energia)."

Teresa diz que a falha está sendo apurada. "Estamos investigando por que não conseguimos identificar que era um hospital." A vice-presidente disse ainda que, após ter sido detectado que se tratava de uma unidade hospitalar, a energia foi restabelecida em 55 minutos.

Queixas. Ainda nesta terça, foi realizada uma reunião entre a concessionária e um representante do Procon para discutir as reclamações de pessoas atingidas pela falta de energia elétrica na região metropolitana desde o dia 28 de dezembro.

Apenas entre os dias 29 de dezembro e 5 de janeiro, o Procon recebeu 254 queixas de clientes da concessionária. Em todo o mês de dezembro, foram 67 reclamações por falta de energia, problemas com o SAC e danos e indenizações.

O assessor-chefe do órgão Roberto Dutra informou que a empresa deve ser autuada e multada nas próximas semanas. "Haverá multa, porque foi confirmada a questão da deficiência de resposta ao consumidor. A gente estima que, passado esse período inicial de chuvas dessa semana, já teremos material suficiente para a realização de autuação, possivelmente, na semana que vem ou na seguinte." Sobre a multa, o assessor-chefe diz que o valor pode chegar a R$ 3 milhões.

A vice-presidente da AES Eletropaulo Teresa Vernaglia disse que a empresa trabalha para o rápido restabelecimento da energia e que toda a equipe está mobilizada para evitar transtornos para os clientes.

"Temos equipes em campo 100% mobilizadas para o restabelecimento de energia, fizemos reforço no atendimento no call-center. É um grupo que está mobilizado desde o início do verão. Não temos mais nenhum cliente do evento (falta de energia), que aconteceu nos dias 29 de dezembro e 1º, sem energia." Segundo Tereza, há 100 mil pessoas sem energia elétrica na região metropolitana desde a última segunda.

Mais conteúdo sobre:
Hospital falta de energia Osasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.