Márcio Fernandes/AE
Márcio Fernandes/AE

Marcha para Jesus reúne 500 mil e tem a presença de Feliciano em SP

Deputado federal que apoia o projeto da 'cura gay' usou camiseta com a frase: 'Eu represento vocês!'

O Estado de S.Paulo,

29 Junho 2013 | 18h57

SÃO PAULO - A 21ª da Marcha Para Jesus, realizada neste sábado, 29, em São Paulo, reuniu 500 mil pessoas, metade do público do ano passado, segundo estimativa divulgada pela Polícia Militar. A festa deste ano, prevista para acabar às 21h, na Praça Heróis da Força Expedicionária Brasileira (FEB), foi marcada por reflexos dos protestos que se espalharam por todo o País em junho. A presença do deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC) também chamou atenção. Criticado em passeatas nas últimas semanas por apoiar o chamado projeto da "cura gay", que tramita no Congresso Nacional, ele aproveitou para deixar o seu recado. "Eu represento vocês!", dizia uma frase estampada em sua camiseta.

Outros políticos também foram ao evento, como o ex-prefeito Gilberto Kassab, atual presidente do PSD, o senador Magno Malta (PMDB-ES) e o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência da República. Representando a presidente Dilma Rousseff, ele acabou sendo vaiado pelo público.

Nesta edição da marcha, iniciada às 10h deste sábado, na Estação da Luz, destacaram-se cartazes trazendo para o campo religioso as palavras de ordem que se popularizaram em manifestações de rua. A expressão "vem para rua", por exemplo, muito usada nas redes sociais para a divulgação de atos, ganhou a versão "vem pra rua para falar de Jesus." Houve também quem usasse a fé para criticar os problemas do País: "contra a corrupção/Jesus é a solução", "Jesus é dez. Educação e saúde é (sic) zero", diziam outras mensagens.

Para o bispo Estevan Hernandes, um dos líderes da Igreja Renascer em Cristo, organizadora do evento, os protestos das últimas semanas serviram de estímulo aos fiéis. "Acredito que muitas pessoas foram motivadas pelas manifestações a estar marchando também", disse.

Na visão do cantor gospel Thalles Roberto, que começou sua apresentação por volta das 18h, a marcha deste ano realmente teve um clima diferente das anteriores. "Eu sempre venho, mas dessa vez tem uma outra motivação, por conta das manifestações", disse. "Podemos também sair para as ruas propondo a luta por amor e paz", completou.

Voltada principalmente para fiéis de igrejas evangélicas, a festa tem programação musical quase exclusivamente gospel, com shows da banda Renascer Praise, Ao Cubo, Inesquecível e dos cantores Davi Sacer, Regis Danese, Mariana Valadão, Cassiane, Thalles Roberto, Marcelo Aguiar e Fernandinho.

Trânsito. O evento conta com monitoramento especial do trânsito por parte da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) desde as 6h. A orientação da empresa é de que o motorista que não participará do ato evite a região das Avenidas Tiradentes e Santos Dumont, que fazem ligação entre o centro e a zona norte da capital.

A marcha causou cinco pontos de bloqueio no trânsito na zona norte. No começo da tarde deste sábado, havia 26 quilômetros de congestionamento na região, segundo a CET. O número era quase 70% de todo o trânsito da capital, estimado pela companhia em 38 km no momento da medição, por volta do meio-dia.

As vias mais complicadas são a Avenida Cruzeiro do Sul, no sentido centro, o corredor formado pelas Avenidas Rudge e Rio Branco, no mesmo sentido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.