1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Manifestantes se acorrentam na sede da Prefeitura de SP

Rafael Italiani Baseggio - O Estado de S. Paulo

28 Abril 2014 | 13h 19

Grupo protesta pela criação da linha de ônibus no Marsilac, na zona sul da cidade

Atualizada às 20h35

SÃO PAULO - Três ativistas do Movimento Passe Livre (MPL) se acorrentaram, na manhã desta segunda-feira, 28, dentro da sede da Prefeitura de São Paulo, no Viaduto do Chá, região central, para cobrar a criação de uma linha de ônibus gratuita que atenda às regiões de Marsilac, Mambu e Ponte Seca, no extremo sul da cidade.

Os ativistas deixaram o prédio, por volta das 14h, após representantes da Secretaria Municipal de Relações Institucionais, acompanhados do secretário adjunto dos Transportes, José Evaldo Gonçalo, ouvirem as reivindicações. Além dos acorrentados, um grupo formado por cerca de 50 ativistas do MPL e de moradores de Marsilac também protestaram na frente da Prefeitura, tocando tambores e gritando palavras de ordem para o prefeito Fernando Haddad (PT).

Segundo o MPL, a Prefeitura prometeu reunir os documentos necessários para tornar linha operacional em até 20 dias. Procurada, a Secretaria Municipal de Transportes afirmou que não há prazo.

Em nota, a Prefeitura disse estudar uma forma de colocar uma linha na região. Segundo a administração municipal, a região de Marsilac é uma "área de proteção ambiental, com um sistema viário precário, em zona rural, o que requer cuidados excepcionais para não ferir a legislação em vigor". De acordo com o MPL, há leis que permitem a criação de transporte público de graça em regiões rurais.