Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Manifestantes protestam contra fechamento do Shopping Higienópolis

Centro de compras seria interditado pela Prefeitura , mas ganhou liminar na Justiça revertendo decisão

Felipe Tau - estadão.com.br,

20 Julho 2012 | 10h09

São Paulo, 20 - O Sindicato dos Comerciários de São Paulo (SECSP) realiza desde as 8h desta sexta-feira, 20, uma manifestação em frente ao Shopping Pátio Higienópolis, na região central da cidade, contra a cassação do alvará de funcionamento do empreendimento, determinada pela Prefeitura e suspensa temporariamente pela Justiça. De acordo com um dos diretores do sindicato, Josimar Andrade, há 800 pessoas e dois carros de som no local e o ato será encerrado às 10, quando o centro de compras abre as portas.

A Polícia Militar afirmou que não há registro de incidentes e não estimou a quantidade de manifestantes.  A CET informou que as pessoas ocupam duas faixas da Rua Veiga Filho,  onde fica a entrada de funcionários. O motorista enfrenta lentidão por aproximação. Também há manifestantes na Avenida Higienópolis, sem a ocupação das vias.

Andrade afirma que há 4, 5 mil funcionários trabalhando nas 305 lojas do shopping  e diz que o ato visa impedir que fiquem sem emprego. "Estamos aqui defendendo a manutenção da abertura do shopping. Não existe risco de vida, é uma questão burocrática, que tem que ser resolvida."

A Prefeitura informou que irá recorrer da decisão da Justiça e que mantém a intenção de fechar o shopping enquanto ele não atender suas exigências. A administração  alega que a unidade possui menos vagas de estacionamento do que o exigido por lei para um estabelecimento de seu tamanho.

A Prefeitura determina que o Higienópolis tenha tivesse 1.994 vagas, mas os quatro andares de estacionamento comportam, no máximo, 1.524, conforme o projeto. Ele teria então que comprovar a existência de outras 470 vagas em garagens externas conveniadas, o que não foi feito.

Na liminar concedida pela Justiça na quarta-feira impedindo o fechamento do shopping, o centro comercial  argumenta que as 1.994 vagas seriam necessárias apenas quando a ampliação da unidade estiver finalizada. Com o tamanho atual, precisaria de apenas 1.428 vagas, justificativa que foi acatada. De acordo com a liminar, um fiscal da prefeitura atestou que existem atualmente 1.446 locais demarcados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.