Reprodução
Reprodução

Manifestantes destroem radares e tentam incendiar cabines de pedágio em SP

Grupo de cerca de 200 pessoas fechou a Rodovia Professor Zeferino Vaz em Cosmópolis; houve confronto com policiais

Ricardo Brandt, O Estado de S. Paulo

28 Junho 2013 | 11h41

CAMPINAS - Um grupo de cerca de 200 manifestantes fechou na manhã desta sexta-feira, 28, a Rodovia Professor Zeferino Vaz (SP-332), em Cosmópolis, interior de São Paulo, com barreira de sinalização queimada e tentou atear fogo em duas cabines de pedágio.

O grupo protestava contra o valor da tarifa de pedágio, R$ 6,20, e houve confronto com a Polícia Militar. Os manifestantes fecharam a rodovia nos dois sentidos, por volta das 5h, na altura do km 140. O protestou já dura seis horas e parte dos manifestantes ainda permanece no local.

Os manifestantes estavam na rodovia e se dirigiram para a praça de pedágio quando a PM chegou. Eles quebraram as câmeras da concessionária Rota das Bandeiras, radares e placas de sinalização e queimaram duas cadeiras que estavam dentro de cabines de pedágio, mas a PM conseguiu impedir o incêndio.

A PM usou bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes, que reagiram com pedras e bombas caseiras. Por volta das 7h, o congestionamento na rodovia era de 5 quilômetros.

Parte dos manifestantes usou a areia que fica dentro das barreiras plásticas de sinalização da rodovia para escrever no chão a sigla PCC - da facção criminosa Primeiro Comando da Capital.

Outro acesso a Cosmópolis, pela Rodovia João Herrmann Neto (SP-133), também foi bloqueado. Os manifestantes atravessaram um ônibus na pista para impedir o tráfego de veículos. A concessionária fez dois desvios para quem segue sentido Campinas, nos km 143 e 145. No sentido contrário, o desvio está no km 132.

Mais conteúdo sobre:
protestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.