Má sinalização faz jardineiro 'montar' posto de informação

Má sinalização faz jardineiro 'montar' posto de informação

Sobre um viaduto, Valdeci Soares, de 38 anos, guia motoristas perdidos e até ajuda a desatolar carros

, O Estadao de S.Paulo

05 Abril 2010 | 00h00

O governador Alberto Goldman (PSDB) certamente não sabia o presente que dava ao jardineiro Valdeci Soares, de 38 anos, quando liberou as novas pistas do Rodoanel para o tráfego, na quinta-feira. Enquanto para muita gente a obra representou menos tempo no trânsito, para Valdeci foi diferente. "Ganhei um passatempo", conta.

Essa foi a sua conclusão, após passar quase todo o Domingo de Páscoa sentado no viaduto sobre a Avenida José Simões Louro Junior, perto do bairro Crispim, onde mora, em Itapecerica da Serra. Fazendo o quê? "Eu fico aí vendo o movimento, aí quem está vindo de carro encosta para pedir informação e eu ajudo."

Para isso, Valdeci chegou lá às 9h e só voltou para casa quando já era noite. Durante esse tempo, indicou ? sem pedir nada em troca ? várias vezes onde ficava o retorno mais próximo, explicou o caminho para motoristas perdidos e ajudou a desatolar três carros que ficaram presos num caminho de terra improvisado.

GPS. Mesmo sendo feriado, o trabalho não é pouco, por causa das falhas de sinalização do novo trecho. Em alguns momentos, carros chegaram até a se enfileirar no acostamento para pedir informação. E, como trabalho quase incessante, Valdeci se tornou uma espécie de GPS do Rodoanel.

"Aqui, licença, como é que eu faço para ir para Curitiba daqui, hein?", perguntou o empresário Paulo Henrique Godiano. A resposta veio certeira: "Você pega um retorno naqueles cones vermelhos ali, no meio da pista, e anda 10 km de volta até a Régis."

"Rapaz, estou querendo ir para Diadema. É para lá mesmo?", indagao o eletricista Vágner Conceição . "Sim, "tá" certo. Segue direto até a Imigrantes e pega o acesso na direita. Aí é só entrar em qualquer uma na direita que você já está lá", explicou.

Valdeci nasceu perto dali, em Parelheiros, e morou a vida toda em Itapecerica. Tem família ? mulher e dois filhos. Mas nada disso o impediu de passar quase todo o Domingo de Páscoa sobre o viaduto da José Simões. "Ah, ficar em casa à toa não dá não. Se não tiver nada para fazer, venho para cá. Ainda mais hoje, o primeiro domingo."

Se ele diz, tudo bem. Os motoristas ? que ainda se perdem bastante no novo e mal sinalizado ramal do Rodoanel ? agradeceram. / R. B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.