Juliana Diógenes/Estadão
Juliana Diógenes/Estadão

Linha percorrida por Doria entre a zona leste e o centro recebe nota 4

Principais queixas de passageiros ao prefeito na viagem entre os Terminais Sapopemba e Parque Dom Pedro II foram tempo de espera e falta de limpeza

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

13 Março 2017 | 11h21

SÃO PAULO - Pela segunda vez, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB,) percorreu um trajeto de ônibus na cidade para avaliar as condições de uma linha. Às 6h30 desta segunda-feira, 13, o prefeito entrou em um coletivo no Terminal Sapopemba/Teotônio Vilela, na zona leste, em direção ao Terminal Parque Dom Pedro II, na região central. Em uma avaliação de 0 a 10, a linha 5143/10 recebeu nota média 4 dos usuários, que se queixaram do tempo de espera pela chegada dos ônibus ao terminal e da sujeira no interior do coletivo.

A saída do terminal estava prevista para 6 horas. O atraso se deu porque o fiscal de uma operadora de ônibus remanejou um coletivo mais moderno, que normalmente circula em trajeto diferente, somente para atender à visita do prefeito. Doria chegou a entrar no ônibus e, alertado por passageiros, decidiu descer e entrar em um coletivo próprio da linha.

"Um fiscal de maneira advertia trocou o ônibus por um mais moderno para impressionar o prefeito", disse Doria. "Íamos ter uma noção equivocada no transporte dessa linha. Vivenciamos uma experiência real, e não artificial."

O trajeto durou uma hora e dois minutos. Ao descer no Terminal Parque Dom Pedro II, no fim da linha, o prefeito contou que ouviu muitas críticas da população. As principais foram sobre a sujeira e a demora dos ônibus. "Não faz sentido ter ônibus sujo, sem asseio", disse.

Doria afirmou que será marcada uma reunião do secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Sérgio Avelleda, com todas as empresas de ônibus para providenciar melhorias.

"A prefeitura gasta uma fortuna no transporte público. É minimamente razoável que seja melhor", disse o tucano.

Segundo o prefeito, o tempo de espera relatado pelos usuários, de 30 a 40 minutos, é "muito longo". O razoável, destacou, seria de no máximo 15 minutos.

"Não acho razoável as pessoas esperarem meia hora em um ponto de ônibus. As pessoas são trabalhadoras. Não podem chegar atrasadas no seu trabalho", afirmou Doria." Também não faz sentido que essas pessoas tenham que acordar meia hora ou 40 minutos mais cedo em um função de uma deficiência das próprias linhas de ônibus."

Doria prometeu que em três anos e 10 meses, tempo restante para o fim de sua gestão, todos os ônibus da cidade terão ar-condicionado e serão articulados ou biarticulados.

Viagens de ônibus. A nota dada pelos passageiros da linha 5143-10 nesta segunda-feira ficou bem abaixo da atribuída na primeira viagem de ônibus realizada por Doria, no dia 6 de fevereiro. Na ocasião, a linha 6450/10, entre o Terminal Capelinha, na zona sul, e o Terminal Bandeira, no centro, recebeu média 7.

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.