Levar marmita para o trabalho agora é fashion

Mais coloridas e descoladas, elas ajudam a controlar a alimentação e economizar nos gastos

Mariana Lenharo, O Estado de S.Paulo

24 Julho 2011 | 00h00

As velhas marmitas estão de volta. Agora mais modernas e práticas, elas têm sido usadas como estratégia para controlar melhor a nutrição, cortar gastos com comida e preparar tudo do jeito que o marmiteiro gosta.

Para a atriz Paola Oliveira, não é constrangimento nenhum levar marmita ao trabalho. "Certas coisas ficam muito intituladas como se fossem só para algumas pessoas. Levo marmita, sim, para o trabalho, pois é uma refeição mais barata e saudável."

A atriz conta que, no começo, a preparação é trabalhosa. "Mas tenho uma pessoa que cozinha para mim. Levo marmita com arroz, feijão, frango, uma marmita de salada, outra de frutinha para comer à tarde e até sopa no frio."

Economia foi o que levou o articulador de redes virtuais Diego Casaes, de 23 anos, a se aventurar na cozinha. "Em São Paulo é muito caro se alimentar bem. E a gente acaba sentindo falta de comer coisas mais caseiras."

Buscando incentivo para manter o hábito que, segundo ele, exige disciplina, criou o blog Moda & Marmita (modaemarmita.posterous.com), no qual posta fotos de seus looks e bentôs - marmita japonesa (veja ao lado). A ideia era economizar com comida para gastar com roupa. "Compro ingredientes que duram a semana inteira e o retorno para a saúde é muito bom."

A webdesigner Fabiana Zanelati, do site Pimenta do Reino (www.pimentanoreino.com.br), também recorre à marmita. "Trabalho em uma região muito cara e muito lotada no almoço. Juntou-se a isso o fato de tentar comer melhor."

Restrições. No caso da assistente comercial Lilian Melo, de 26 anos, o que a leva a optar pelas marmitas desde 2002 são as restrições alimentares. "Não como carne vermelha nem diversas outras coisas. Além disso, não confio na limpeza de restaurantes."

A gerente de academia Patrícia Vasconcellos, de 29, aderiu à marmita após o conselho de um nutricionista. "Preparo os alimentos sem gordura e priorizo frutas, iogurtes, fibras e castanhas", conta.

A nutricionista Jacira Conceição dos Santos conta que vários de seus pacientes levam comida de casa para se manterem na dieta. "É uma boa opção para quem quer controlar os ingredientes."

Mas a nutricionista Mariana Del Bosco, da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso), lembra que, na hora de preparar a marmita, o importante é contemplar todos os grupos alimentares.

Para armazenar, o ideal é carregar o recipiente em bolsa térmica ou colocá-lo na geladeira assim que chegar ao trabalho. / COLABOROU TATIANA PIVA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.