Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Lazer no Minhocão não exige aval dos bombeiros

MPE investiga falta de segurança na via e pede à Prefeitura que instale portões de controle de acesso

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

06 Setembro 2016 | 05h00

O fechamento para carros do Elevado Presidente João Goulart, o Minhocão, com liberação para lazer, não pode ser classificado como “um evento temporário” e, assim, “não está sujeito às exigências do Regulamento de Segurança Contra Incêndios”. É o que informou o Corpo de Bombeiros ao Ministério Público Estadual (MPE), que investiga falta de segurança na via e pede à Prefeitura que instale portões de controle de acesso.

Uma das razões que servia como base da suspeita sobre os riscos da via era justamente um laudo do Corpo de Bombeiros, emitido no ano passado, que barrou a realização de eventos da Virada Cultural em cima do Minhocão. O laudo considerava a falta de saídas de emergência e a altura das muretas laterais da via, que podia provocar quedas. 

Em reunião com o MPE, entretanto, o Corpo de Bombeiros esclareceu que o laudo analisava a realização de um evento específico, com montagem de estruturas (como palco), e que, neste caso, precisava de uma autorização especial. Os bombeiros, entretanto, apontaram necessidade de se garantir acesso a viaturas para atendimentos especiais.

O Estado não conseguiu contato na noite desta segunda-feira, 5, com o promotor César Ricardo Martins, responsável pela investigação, para comentar as informações dos bombeiros. O inquérito continua aberto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.