Kassab defende aumento para o segundo escalão

Ele alega que com salários mais altos ficará mais fácil para o próximo prefeito formar uma equipe bem preparada

O Estado de S.Paulo

10 Dezembro 2011 | 03h05

O prefeito Gilberto Kassab (PSD) manteve ontem o mesmo discurso adotado nos reajustes salariais promovidos ao longo deste ano e defendeu o aumento de até 236% para o segundo escalão da Prefeitura, aprovado na Câmara Municipal na noite de anteontem. "A lei será sancionada", afirmou. "Essa era uma questão colocada embaixo do tapete, achei que era hora de ser enfrentada."

Para o prefeito, com salários mais altos, ficará mais fácil de o próximo prefeito formar uma equipe mais bem preparada para assumir a administração pública. Kassab disse também que a sociedade civil e a imprensa poderão cobrar mais eficiência das gestões futuras, que terão possibilidade de contratar quadros comprometidos com a causa pública. Ele minimizou o impacto nas contas, estimado em R$ 19, 4 milhões.

Com o aumento aprovado anteontem, em 28 das 31 subprefeituras comandadas por coronéis da reserva da PM, que já recebem até R$ 15 mil de aposentadoria, subprefeitos vão receber salário de até R$ 35 mil mensais - o teto constitucional para o funcionalismo na capital é de R$ 24.117,62 mil, estabelecido em decreto de abril.

O aumento triplica o salário de 28 secretários adjuntos e 59 chefes de gabinete de secretarias e subprefeituras, além de superintendentes de autarquias e fundações. O salário do subprefeito vai para R$ 19.294,10.

Para os cargos de superintendente de autarquia e presidentes de fundações na capital paulista - como é o caso do Serviço Funerário Municipal e do Hospital do Servidor Público -, que recebem hoje R$ 5.998,99, o holerite passará a ser de R$ 18.329,39, ou seja, 205,54% mais do que o valor atual.

Comissão. Kassab ainda vai pagar salários entre R$ 17.364,19 e R$ 19.294,10 para cargos de chefia que são comissionados, ou indicados sem concurso público. O valor será recebido pelos servidores já a partir do mês de janeiro. / F.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.