Edson Lopes Jr./A2img/Divulgação
Edson Lopes Jr./A2img/Divulgação

Justiça manda Estado contratar delegado para cidades do interior

Governo tem três meses para fazer contratações em Ilha Solteira e Itapura, no oeste de São Paulo; Alckmin afirma que vai recorrer

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

04 Março 2017 | 11h11

SOROCABA - Uma liminar da Justiça obriga o governo do Estado de São Paulo a contratar em três meses delegados para as delegacias da Polícia Civil em Ilha Solteira e Itapura, no oeste do Estado. A decisão, dada nesta sexta-feira, 3, pelo juízo cível de Ilha Solteira, determina ainda a convocação de outros policiais para as delegacias num prazo de seis meses, tudo sob pena de R$ 50 mil por dia para cada cargo não preenchido.

Levantamento do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp) divulgado pelo Estado aponta que, dos 645 municípios paulistas, 256 estão sem delegado titular. O sindicato afirma que a Polícia Civil tem déficit de 9 mil cargos.

A liminar foi dada em ação movida pelo Ministério Público Estadual, para o qual a falta de policiais gera insegurança na população das cidades. 

O governador Geraldo Alckmin (PSDB), que esteve na região noroeste na sexta-feira, disse que o governo vai recorrer contra a decisão judicial, pois se trata de judicialização de uma questão administrativa. Segundo ele, colocar delegado atendendo a apenas uma cidade seria desperdício de dinheiro público. "Se você colocar um delegado numa cidade de mil habitantes, ele vai pescar, não tem sentido isso. Em cidades muito pequenas você coloca um delegado e ele responde por duas ou três cidades", afirmou, em entrevista coletiva, na cidade de Braúna.

Conforme o governador, no fim do ano passado foram nomeados 442 policiais civis, 80 delegados, 79 investigadores e 283 escrivães. Eles concluindo o curso na academia de polícia este mês e assumem seus postos no fim deste mês.

Mais conteúdo sobre:
Sorocaba Polícia Civil Geraldo Alckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.