Alfredo Risk/Futura Press
Alfredo Risk/Futura Press

Justiça espanhola autoriza extradição de acusado de matar menino Joaquim

Guilherme Raymo Longo responde por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver

Rene Moreira, Especial para O Estado

03 Janeiro 2018 | 15h14

FRANCA - A Justiça da Espanha autorizou nesta terça-feira, 2, que Guilherme Raymo Longo, de 32 anos - acusado de matar o menino Joaquim Ponte Marques, de 3 anos, em novembro de 2013, seja mandado de volta ao Brasil. Ele foi preso no país em abril do ano passado. Isso deve ocorrer até o dia 20 de janeiro, mas a data exata não é revelada por motivos de segurança. Até os dois policiais federais que irão a Madri e farão a escolta já foram definidos.

Assim que chegar, Longo deve ser mandado para o presídio de Tremembé (SP), local em que já esteve até obter habeas corpus e fugir para a Espanha com documentos falsos. Ele responde por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver, pois, segundo a denúncia do Ministério Público, teria matado o enteado com uma dose excessiva de insulina e jogado seu corpo no rio.

+++ Padrasto acusado de matar o menino Joaquim é preso na Espanha

Guilherme Longo era procurado desde setembro de 2016 e sua fuga rendeu até recompensa de R$ 50 mil oferecida pelo governo de São Paulo e um cartaz de procurado divulgado pela Polícia Civil. Antes de desaparecer ele teria deixado uma carta confessando o crime.

Retorno

O pedido de extradição de Longo foi encaminhado à Espanha pelo Ministério das Relações Exteriores. A logística do trabalho para trazê-lo de volta está sendo definido em conjunto pela Polícia Federal e Interpol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.