Justiça decreta prisão de 12 PMs suspeitos de matar motoboy em SP

Eduardo Luís Pinheiro dos Santos, de 30 anos, foi assassinado dentro de quartel; testemunhas dizem que vítima, que sofreu traumatismo craniano e hemorragia, foi torturada e espancada

Priscila Trindade, da Central de Notícias

28 Abril 2010 | 20h48

SÃO PAULO - A Justiça Militar decretou nesta quarta-feira, 28, a prisão temporária de 12 policiais militares acusados de envolvimento no caso do motoboy morto na zona norte de São Paulo.    

 

Veja também:

linkChefe da PM pede desculpas por morte de motoboy

 

Eduardo Luís Pinheiro dos Santos, de 30 anos, foi assassinado no dia 9 dentro de um quartel. Ele teve traumatismo craniano e hemorragia.

 

Testemunhas disseram que Santos foi torturado, espancado e humilhado no quartel. Outros nove policiais suspeitos de envolvimento na morte estão presos administrativamente.

 

Crime

 

No dia 9 de abril, o motoboy discutiu com outros três homens por causa do roubo de uma bicicleta quando duas viaturas chegaram no local. Um PM teria dado um soco em Santos, que revidou a agressão. Em seguida, o motoboy foi algemado, e levado para o quartel. Santos foi levado ao Pronto-Socorro de Santana, mas chegou morto no hospital.

Mais conteúdo sobre:
motoboy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.