Justiça ainda não condenou ninguém pelo acidente

Até hoje, nenhum responsável pelo acidente foi condenado pela Justiça. O processo está parado há um ano, desde que o Ministério Público Federal apresentou denúncia criminal contra três pessoas: a ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil, Denise Abreu, o então vice-presidente de operações da TAM, Alberto Fajerman, e Marco Aurélio dos Santos Miranda e Castro, o então diretor de segurança de voo da empresa na época.

O Estado de S.Paulo

13 Julho 2012 | 03h01

Segundo o MPF, foi Denise que liberou a pista principal de Congonhas sem realização de inspeção formal. A denúncia ainda afirma que a pista tinha "péssimas condições de frenagem" em dias de chuva, como na data do acidente. Já os diretores da TAM, segundo a Procuradoria, são apontados como "negligentes", por não terem direcionado o voo para outro aeroporto. /A.F. e N.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.